Pular para o conteúdo principal

AVICIS UMA BOA SOLUÇÃO PARA A QUEDA DE CABELOS POR DISTÚRDIO HORMONAL

Avicis

O Avicis é uma solução capilar indicada para o tratamento de queda de cabelo, principalmente relacionada a fatores hormonais. AVICIS (17 a – Estradiol) solução capilar é indicado nos casos de diminuição da fase anágena no ciclo de desenvolvimento capilar na alopecia androgenética leve a moderada, em homens e mulheres (perda de cabelos por fatores hormonais).
O alfa estradiol (Avicis) é recomendado apenas em casos de AAG(Alopecia Androgenética), se a causa da queda for outra, o remédio não fará o efeito esperado.
Ele pode ser encontrado em qualquer farmácia e o preço está em torno de R$80. Não utilize o produto sem recomendação médica. A diminuição na queda dos cabelos poderá ser notada em cerca de 30 dias após iniciar o uso do produto.
AVICIS (17 a-Estradiol) solução capilar deve ser usado exclusivamente para aplicação tópica no couro cabeludo. A aplicação do medicamento em excesso não fará com que sejam obtidos resultados melhores ou mais rápidos e os efeitos indesejáveis descritos acima poderão aumentar ou intensificar-se.

Combate à queda de cabelo conta com grande aliado
Avicis apresenta excelentes resultados em eficácia e em número de vendas.
Distribuído pelo Laboratório Galderma, o Avicis ocupa o primeiro lugar no Brasil em vendas (unidades e valores) e prescrições no mercado ético de alopecia androgenética (calvície), além de liderar o ranking de valores do próprio laboratório. O medicamento trata a chamada Alopecia Androgenética – AGA –, tipo hereditário de calvície, responsável pela queda de muito mais de 100 fios diariamente.

Vale lembrar que a média considerada normal pelos dermatologistas é de 70 a 100 fios por dia. Portanto, é bom ficar atento aos fios fora de lugar, pois ao tornar-se presença constante em travesseiros, roupas ou toalhas, a causa da perda excessiva pode ser a AGA – que começa bem antes do que se imagina, e chega a atingir jovens de 18 anos.

Aplicado diretamente no couro cabeludo, o medicamento funciona como inibidor tópico da 5-α reductase, enzima que converte a testosterona em DHT, o hormônio responsável pelo afinamento e queda dos cabelos. O produto age diretamente na causa do problema, atingindo o processo de miniaturização dos fios – na prática, isso significa que Avicis pode diminuir a perda do cabelo, principalmente nos casos em que a AGA – Alopecia Androgenética – é diagnosticada precocemente e, quando ainda existem folículos saudáveis, o medicamento é capaz de fazer com que fios fracos e finos nasçam mais fortes e grossos. Nessas condições, a melhora foi observada em cerca de 80% dos casos (89% em mulheres e 85% em homens), segundo estudos*.

Para entender melhor esse efeito, é preciso saber que o cabelo cresce de forma cíclica, passando por 14 a 15 ciclos em sua vida útil. Cada um deles envolve três fases: a anágena, que é a fase produtiva; a telógena, que é a de repouso; e a catágena, caracterizada pela involução dos fios. Ao contrário das unhas, os fios não crescem indefinidamente. Na idade adulta, não há desenvolvimento de novos folículos e aqueles existentes ficam sujeitos a um processo de envelhecimento natural.

“Inúmeros fatores podem interferir nesse ciclo e acelerar a mudança da fase anágena para a catágena. Como conseqüência, causa a Alopecia, que também pode ser provocada por distúrbios hormonais, anemia, tumores, stress, entre outros fatores. Portanto, é importante procurar o dermatologista para receber um diagnóstico e orientação adequados para o tratamento. As pessoas nunca devem se automedicar, como acontece na maioria dos casos”, explica o dermatologista Francisco Le Voci, do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

O Avicis tem apresentado bons resultados no tratamento exclusivo da perda capilar por predisposição genética, já que seu princípio ativo - alfaestradiol - é capaz de diminuir esse processo. Aliás, ele pode ser usado por homens e mulheres, evitando a rarefação do cabelo. O efeito do Avicis costuma aparecer depois de três meses e, para um resultado melhor, recomenda-se o uso contínuo do medicamento. Se a aplicação for interrompida, o cabelo tende a voltar a cair. Mas é indispensável seguir o tratamento prescrito pelo dermatologista.

Segundo Le Voci, “quando há predisposição genética, a maior perda de cabelo se dá entre o final da adolescência e os 30 anos. Se a Alopecia começa a ser tratada neste período, as chances de um resultado satisfatório e de se evitar a calvície são maiores, porque ainda há tempo de se salvar alguns folículos pilosos”, explica. Ele ressalta que, depois de mortos, os folículos não voltam a produzir pêlos, independente do medicamento que se utilize.

Adquirido somente com apresentação de receita médica, Avicis é encontrado em forma de solução, numa embalagem de 100 ml acompanhada de aplicador exclusivo – criado para atingir de forma precisa o folículo capilar, sem deixar uma quantidade excessiva do medicamento no couro cabeludo e sem interferir no penteado. O produto, com fragrância suave, deve ser usado apenas uma vez por dia.
Fonte: http://www.denisesteiner.com.br/


Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

A luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - proporciona um efeito fotoprotetor contra a radiação solar e artificial, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da peleFoto: Shutterstock
Luteína combate manchas e fotoenvelhecimento da pele
Estudos já comprovaram que a luz emitida por computadores, televisores e lâmpadas fluorescentes pode causar manchas na pele, assim como os raios ultravioleta (UVA e UVB). Mas, o que pouca gente sabe é que a luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - pode proporcionar um efeito fotoprotetor contra todas essas radiações, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da pele. Os benefícios desse ativo para a cútis começaram a ser valorizados há cerca de cinco anos quando a revista científica americana Skin Pharmacology and Physiology divulgou um estudo que apontou a luteína como uma poderosa arma antioxidante contra o fotoenvelhecimento cutâneo, causad…

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

UC-II COLAGENO NÃO DESNATURADO DUAS VEZES MAIS ATIVO DO QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA A cartilagem é um dos tecidos conjuntivos primários do corpo, proporcionando flexibilidade e suporte para as articulações ósseas. O colageno tipo II não desnaturado, é a principal proteína estrutural na cartilagem que é responsável pela sua resistência à tração e firmeza. Derivado de cartilagem de frango, UC-II® consiste em colágeno tipo II não desnaturado que age juntamente com o sistema imunológico para manter as articulações saudáveis e promover a mobilidade e flexibilidade das articulações. UC-II® tem sua composição patenteada, e demonstrou a sua eficácia em estudos clínicos em humanos. Descrição O colágeno é uma proteína fibrosa presente na pele, tendões, ossos, dentes, vasos sangüíneos, intestinos e cartilagens, correspondendo a 30% da proteína total e a 6% em peso do corpo humano. Também é encontrada em diversos tecidos de animais. UC-II® é um colágeno do tipo II, não-desnaturado, derivado da cartil…

PROCAÍNA,A SENSAÇÃO CONTRA VELHICE

Um novo tratamento contra o envelhecimento está se tornando uma sensação no Brasil. Embora sua aplicação com essa finalidade não seja tão recente, a procaína benzóica estabilizada ganhou força na mídia, e hoje já é utilizada principalmente pelas classes sociais mais abastadas. Além de retardar o envelhecimento, o GH3, nome comercial da procaína, promete equilíbrio nos sistemas corporais, melhora na circulação sangüínea e combate à depressão. O geriatra e ortomolecular Eduardo Gomes e Azevedo trabalha com o GH3 há 27 anos, sendo inclusive usuário do medicamento. Ele alertou que o medicamento não faz milagres, apenas tem eficácia se utilizado num tratamento multidisciplinar. Azevedo contou que, no GH3, a procaína é somada ao metabissulfito de potássio, fosfato bissódico e ácido benzóico, diferente da procaína utilizada como anestésico. "Quando no organismo, a procaína benzóica se metaboliza, transformando-se no ácido para-amino-benzóico e no dietil-etanol-amino. Esses elementos são …