Pular para o conteúdo principal

VINHO TINTO E CHÁ VERDE CONTRA O MAL DE ALZHEIMER


Vinho tinto contém resveratrol, substância que, em laboratório, anulou ação de aglomerado de proteína que causa o mal de Alzheimer
Foto: Guilherme Leporace
Vinho tinto contém resveratrol, substância que, em laboratório, anulou ação de aglomerado de proteína que causa o mal de AlzheimerGuilherme Leporace

Vinho tinto e chá verde contra o mal de Alzheimer

  • Substâncias das duas bebidas foram capazes de anular, em laboratório, efeito da proteína causadora da doença
  • Efeitos dos extratos pesquisados pela Universidade de Leeds ainda precisam de comprovação clínica
Substâncias químicas naturais encontradas no chá verde e no vinho tinto são capazes de quebrar efeito de proteína causadora do mal de Alzheimer, de acordo com testes de laboratório feitos na Universidade de Leeds, no Reino Unido.
Os autores da pesquisa explicam que a doença capaz de degenerar o cérebro começa quando os neurônios são intoxicados por uma proteína produzida pelo próprio corpo, a beta-amiloide. Todos nós temos esse peptídeo no organismo. Mas, de 15 anos para cá, passou a ser consenso na comunidade científica que pessoas com mal de Alzheimer têm a beta-amiloide dissolvida no sistema nervoso em forma de aglomerados, chamados de oligômeros. É a proteína neste formato que danifica os neurônios, impedindo a comunicação entre eles, num primeiro instante, para matar a célula tempos depois.
Desta vez, por meio de testes em laboratório, os pesquisadores britânicos descobriram que o resveratrol — substância encontrada na semente das uvas e no vinho tinto — teve capacidade de modificar o formato dos aglomerados de beta-amiloide de modo que não mais grudassem nas paredes das células. No chá verde, a substância que conseguiu remodelar os oligômeros foi o galato de epigalocatequina (EGCG, na sigla em inglês).
— Este é um importante passo para aumentar o entendimento da causa e progressão da doença de Alzheimer — disse o líder da pesquisa, Nigel Hooper, em anúncio feito pela universidade. — É um engano que o Alzheimer seja uma parte natural do envelhecimento; é uma doença que acreditamos que pode ser curada ao encontrar novas oportunidades farmacêuticas, como esta.
O mal de Alzheimer é a principal causa de demência em idosos, leva à morte e atinge duas vezes mais as mulheres que homens. A neurologista Valéria Bahia, integrante da Sociedade Brasileira de Neurologia, explica que 0,2% das pessoas acima de 60 anos têm a doença. A partir dessa idade, a cada cinco anos, a incidência do mal de Alzheimer é dobrada.
A neurologista diz que se há a predisposição genética para o desenvolvimento do mal de Alzheimer, não há como evitar a doença, mas hábitos saudáveis podem retardar a degeneração. Levar uma rotina de boa atividade intelectual, dieta mediterrânea — rica em peixes, óleos vegetais e, veja só, vinho — manter atividades físicas e controlar a hipertensão e a diabetes são as melhores recomendações.
Os neurocientistas de Leeds testaram, em tubos de ensaio, os extratos do chá verde e do vinho tinto em neurônios de humanos e de outros animais com a beta-amiloide na sua forma tóxica. E notaram que a a parede das células carregam uma proteína, a príon, que, quando defeituosa, funciona como uma antena para captar a beta-amiloide ruim. Quando as substâncias do vinho e do chá agem modificando o formato da toxina, elas deixam de se encaixar nos príons.
— As duas substâncias testadas na pesquisa britânica vêm somar ao arsenal de compostos que conseguem, em testes de laboratório, modificar os oligômeros. A passagem do sucesso no teste de laboratório para o teste clínico não é trivial, mesmo assim, o estudo é uma boa notícia para a evolução ao tratamento — avalia Sergio Ferreira, bioquímico e chefe do Laboratório de Doenças Neurodegenerativas da UFRJ.
Ferreira acrescenta o exemplo da curcumina — substância encontrada no açafrão-da-índia, também chamado de tumérico, ingrediente de algumas receitas de molho curry — também conseguiu anular o efeito da proteína nociva em testes de laboratório.


Fonte:http://oglobo.globo.com/saude/vinho-tinto-cha-verde-contra-mal-de-alzheimer-7510347#ixzz2Kojff8TE

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

A luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - proporciona um efeito fotoprotetor contra a radiação solar e artificial, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da peleFoto: Shutterstock
Luteína combate manchas e fotoenvelhecimento da pele
Estudos já comprovaram que a luz emitida por computadores, televisores e lâmpadas fluorescentes pode causar manchas na pele, assim como os raios ultravioleta (UVA e UVB). Mas, o que pouca gente sabe é que a luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - pode proporcionar um efeito fotoprotetor contra todas essas radiações, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da pele. Os benefícios desse ativo para a cútis começaram a ser valorizados há cerca de cinco anos quando a revista científica americana Skin Pharmacology and Physiology divulgou um estudo que apontou a luteína como uma poderosa arma antioxidante contra o fotoenvelhecimento cutâneo, causad…

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

UC-II COLAGENO NÃO DESNATURADO DUAS VEZES MAIS ATIVO DO QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA A cartilagem é um dos tecidos conjuntivos primários do corpo, proporcionando flexibilidade e suporte para as articulações ósseas. O colageno tipo II não desnaturado, é a principal proteína estrutural na cartilagem que é responsável pela sua resistência à tração e firmeza. Derivado de cartilagem de frango, UC-II® consiste em colágeno tipo II não desnaturado que age juntamente com o sistema imunológico para manter as articulações saudáveis e promover a mobilidade e flexibilidade das articulações. UC-II® tem sua composição patenteada, e demonstrou a sua eficácia em estudos clínicos em humanos. Descrição O colágeno é uma proteína fibrosa presente na pele, tendões, ossos, dentes, vasos sangüíneos, intestinos e cartilagens, correspondendo a 30% da proteína total e a 6% em peso do corpo humano. Também é encontrada em diversos tecidos de animais. UC-II® é um colágeno do tipo II, não-desnaturado, derivado da cartil…

PROCAÍNA,A SENSAÇÃO CONTRA VELHICE

Um novo tratamento contra o envelhecimento está se tornando uma sensação no Brasil. Embora sua aplicação com essa finalidade não seja tão recente, a procaína benzóica estabilizada ganhou força na mídia, e hoje já é utilizada principalmente pelas classes sociais mais abastadas. Além de retardar o envelhecimento, o GH3, nome comercial da procaína, promete equilíbrio nos sistemas corporais, melhora na circulação sangüínea e combate à depressão. O geriatra e ortomolecular Eduardo Gomes e Azevedo trabalha com o GH3 há 27 anos, sendo inclusive usuário do medicamento. Ele alertou que o medicamento não faz milagres, apenas tem eficácia se utilizado num tratamento multidisciplinar. Azevedo contou que, no GH3, a procaína é somada ao metabissulfito de potássio, fosfato bissódico e ácido benzóico, diferente da procaína utilizada como anestésico. "Quando no organismo, a procaína benzóica se metaboliza, transformando-se no ácido para-amino-benzóico e no dietil-etanol-amino. Esses elementos são …