A POLÊMICA E OS RISCOS DA DIETA FAST FOOD

MONTAGEM - EU ATLETA -  frutas legumes e sanduíche (Foto: Agência Getty Images)
Dieta com fast food é polêmica: ela continha 
cerca de 2 mil calorias 
(Foto: Agência Getty Images)

A polêmica da dieta do fast food: especialista alerta para os riscos

Com 'cardápio equilibrado' e 45 minutos de caminhada por dia, professor perde 17kg comendo sanduíche, batata frita e sorvete. Nutricionista opina.


Um nova polêmica sobre dietas foi levantada depois que um professor americano perdeu 17kg em três meses. Com a colaboração de três alunos e profissionais de saúde elaboraram um programa alimentar à base da comida vendida em famosa rede de fast food. A dieta continha cerca de 2 mil calorias, apenas com o consumo de alimentos vendidos pela rede.
O cardápio era equilibrado nutricionalmente mesmo comendo sandúiche com dois hambúrgueres, alface, queijo e molho, mais batata frita e sorvete. O professor praticou diariamente 45 minutos de caminhada. Segundo ele: “ Basta adotar uma dieta equilibrada aliada a exercícios diários, mesmo comendo fastfood todos os dias. São as nossas escolhas que nos fazem engordar, não a lanchonete ”.

Mas, afinal, o que é uma dieta saudável? Basta contar calorias para redução do peso?

Com certeza não está na lista de estilo de vida saudável a ingestão de alimentos industrializados ricos em sódio, ricos em gordura saturada e colesterol, alta densidade calórica por alimento e a monotonia alimentar.

O que devemos refletir é: após o rápido emagrecimento e sem a preocupação da construção de um hábito alimentar esta perda de peso será duradoura?

Os alimentos vendidos na rede dificilmente podem ser adaptados para a alimentação do dia a dia ou para praticantes de atividade física que precisam de combustível antes, durante e pós-treino.

Esta “dieta do fast food” é a contramão do preconizado para redução de peso, prevenção de doenças (cardiovasculares, diabetes, osteoporose, anemia, câncer) e melhora da performance, onde estimula-se:

Reduzir a ingestão de gorduras ruins (saturadas: manteiga, queijos, empanados) e aumentar a ingestão de gorduras boas monoinsaturadas (azeite, castanhas) e polinsaturadas (peixes, linhaça, chia)

Ter variedade alimentar, ingerir alimentos coloridos para atender as recomendações de vitaminas, minerais e fibras: 5 porções diárias de frutas, verduras e legumes. Fazer 5 refeições diárias.

- Aumentar o consumo de alimentos integrais (arroz, pães, massas)

Aproveitar os alimentos locais e a safra dos alimentos por ser o período de maior valor nutricional e preço mais baixo.

Evitar alimentos com alta densidade calórica como tortas, frituras, alimentos gratinados, preparações com queijo ou creme de leite.

Comer pouco sal. Evitar alimentos enlatados e produtos como salame, mortadela e presunto, que contêm muito sal. Evitar o saleiro à mesa.

Aumentar o uso de temperos naturais como alho, salsinha e cebolinha. Alimentos ingeridos na sua forma natural como feijão, arroz, frutas, grãos e verduras têm pouquíssimo sal.

Faça atividade física todos os dias ou pelo menos 150 minutos por semana. Inclua na sua rotina andar a pé, subir escada, jogar bola, dançar, passear e outras atividades. Fique mais ativo.

Estudos demonstram que a restrição calórica da dieta é mais efetiva para perda de peso do que a composição ou qualidade da dieta a distribuição dos macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídeos).
Entretanto, a manutenção do peso perdido é mais eficaz nas dietas que tenham menor restrição alimentar, prática esportiva e que esteja o mais próximo do estilo de vida do indivíduo.

Um exemplo de dieta com preocupação na qualidade alimentar e estilo de vida ativo é a dieta Mediterrânea, que tem relação com redução de riscos de doenças cardiovasculares e tem como característica ingestão moderada de gordura, evitando a gordura saturada e rica em gordura monoinsaturada e polinsaturada, com ingestão de verduras, frutas, legumes, maior ingestão de peixes, azeite, oleaginosas (nozes, castanhas...).

O controle de peso tem que ser constante, o mais eficaz é achar a “dieta” que mais se aproxima do seu estilo de vida e escolher uma atividade física que proporcione prazer além da perda de peso, desta forma a prática será duradoura.
Ideal é elaborar um programa alimentar no primeiro momento para redução de peso e melhorar a composição corporal, mas que possa ser adaptado para a fase de manutenção do peso perdido.

Qualquer dieta com diminuição da ingestão calórica e aumento do gasto energético resulta na perda de peso, é uma conta matemática. Entretanto cada indivíduo responde de uma forma a esta restrição. A perda de peso precisa também estar relacionada com a melhora da composição corporal, redução de gordura e manutenção ou ganho de massa muscular.

Para o sucesso e manutenção da perda de peso é fundamental levar em consideração estratégias de acompanhamento, motivação, estilo de vida, preferências alimentares individuais e estímulo  da prática esportiva.

Por Cristiane Perroni(Nutricionista)

Fonte:http://globoesporte.globo.com/eu-atleta/nutricao/noticia/2014/01/polemica-da-dieta-do-fast-food-especialista-alerta-para-os-riscos.html

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

DIETA DETOX PARA MELHORAR MUITO PELE E CABELOS