Pular para o conteúdo principal

ESTUDO DIZ QUE VACINA DE GRIPE H1N1 PODE TER RELAÇÃO COM DOENÇA NEURAL,A SÍNDROME DE GUILLAIN-BARRÉ

Estudo diz que vacina de gripe H1N1 pode ter relação com doença neural

Risco de síndrome de Guillain-Barré é 'pequeno, porém significativo'.


Outra pesquisa indica que vacina é segura para grávidas.

Do G1, em São Paulo
Uma pesquisa canadense publicada nesta terça-feira aponta que a vacina contra a gripe H1N1, popularmente conhecida como gripe suína, está "associada a um risco pequeno, porém significativo de síndrome de Guillain-Barré". Contudo, os próprios autores acreditam que os benefícios da vacina compensem o risco.
Info gripe A H1N1 (Foto: Arte/G1)

A síndrome de Guillain-Barré é uma doença que atinge os nervos e afeta os movimentos. Aos poucos, o paciente perde reflexos e a capacidade de controle dos músculos – nos casos mais graves, a função respiratória é prejudicada.
Segundo Philippe De Wals, da Universidade Laval, em Quebec, no Canadá, que liderou o estudo, essa síndrome é autoimune, ou seja, é causada por uma reação exagerada do próprio sistema de defesa do corpo, que passa a atacar os nervos. O processo seria desencadeado por algum agente externo.
O artigo publicado pelo "Journal of the American Medical Association" (Jama) deixa claro que o risco é muito pequeno, e que ainda não é possível afirmar que a vacina provoque a doença. A pesquisa foi feita com base na campanha de vacinação de 2009 e apenas analisou números de pacientes, e não se dispôs a explicar como aconteceria uma relação entre a vacina e a síndrome.
De 4,4 milhões de pessoas vacinadas observadas no estudo, 83 desenvolveram a doença. Segundo os pesquisadores, o número de casos de síndrome de Guillain-Barré atribuíveis à vacina seria de dois para cada 1 milhão de doses, e a relação não foi encontrada em menores de 50 anos.
"É provável que os benefícios da imunização superem os riscos", concluíram os autores.
Na mesma edição do "Jama", um estudo dinamarquês traz dados que podem derrubar um mito relativo à vacina contra a gripe H1N1. O grupo de Björn Pasternak, do Instituto Statens Serum, pesquisou a relação entre a vacinação de grávidas e problemas na formação dos bebês.
"A vacinação durante a gravidez não foi associada a um risco significativamente maior de defeitos importantes de nascença, partos prematuros ou restrição do crescimento do feto", concluiu o artigo.
No Brasil, a vacina contra a H1N1 fez parte da campanha de vacinação de maio, oferecida a idosos acima de 60 anos, crianças com entre seis meses e dois anos, grávidas e profissionais de saúde. Mais de 21 milhões de pessoas foram imunizadas apenas na rede pública.
saiba mais
***

SINDROME DE GUILLAIN-BARRÉ APÓS VACINA H1N1

Enviado em 19/07/2010

REAÇÃO ADVERSA DE VACINA H1N1. QUATRO DIAS APÓS TOMAR A VACINA COMEÇOU A SENTIR FORMIGAMENTO E PESO NAS PERNAS ONDE PROCUROU CENTRO DE TRAUMATOLOGIA ONDE NADA FOI DIAGNOSTICADO DOZE DIAS APÓS A VACINA ESTAVA EM UMA (UTI) PARALIZADA COM RISCO DE VIDA!

Estou cansado e apenas vou colocar um pensamento porque nunca foram mencionadas pelo ministério da saúde e imprensa as inumeras reações adversas que esta vacina tem e estão previstas disponiveis no link http://portal.saude.gov.br/portal/arq...
Minha esposa passou oito dias numa (uti) e outros no quarto e não sabemos quanto tempo vai levar sua recuperação... voltar a caminhar normalmente estou postando pois o minimo que quero e que as pessoas tenham dissernimento para decidir entre tomar ou não. Não somos extremistas nem temos ideologias politicas apenas somos vítimas de uma vacina que destruiu nossas vidas em pensar que estavamos inclinados a comprar para nossa filha de oito anos essa maldita vacina impulcionado pelo maciço apelo do governo e midia que a mesma só traz beneficios.
***
Publicado em 23/01/2013
Dr. Geraldo de Almeida recebe no quadro De Bem Com a Vida o médico Dr. Amarílio Fernandes. O tema da entrevista é a rara Síndrome de Guillain Barre que uma moradora de Lagoa da Prata foi acometida após tomar uma vacina.
***

Médico explica os sintomas da rara Síndrome de Guillain Barre - parte 2

Publicado em 23/01/2013
Dr. Geraldo de Almeida recebe no quadro De Bem Com a Vida o médico Dr. Amarílio Fernandes. O tema da entrevista é a rara Síndrome de Guillain Barre que uma moradora de Lagoa da Prata foi acometida após tomar uma vacina.
***
O que é vacina?
vacina?
Uma vacina é uma preparação antigênica, que inoculada (administrada) num indivíduo induz uma resposta imunitária protectora específica de um ou mais agentes infecciosos.
antigénio da vacina é normalmente composto por microrganismos (vírus ou bactérias) completos, mortos ou atenuados, ou de um fragmento desses microrganismos, por exemplo, uma parte da parede celular de uma bactéria, uma toxina inactiva, etc…
antigénio escolhido para uma vacina deve ser “imunogénico”, ou seja, deve desencadear uma reacção imunitária e não provocar a doença. A vacina é uma medida de protecção que induz no indivíduo uma resposta imunitária como se tivesse sido realmente infectado pelo microrganismo.
antigénio da vacina é apresentado em pequenas quantidades na dose da vacina, numa forma purificada, diluído num líquido estéril e por vezes combinado com adjuvantes, que amplificam a reação imunitária.
As vacinas são consideradas medicamentos, mas apresentam várias diferenças assinaláveis relativamente aos medicamentos clássicos, tal como identificado na seguinte tabela:
 
Vacina
Medicamento
Acção
Preventiva
Terapêutica
Benefício
Individual e colectivo
O efeito não é perceptível (não contrai a doença)
Individual
O efeito é visível (normalmente ocorre melhoria)
Indivíduos
Saudáveis
Doentes

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

A luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - proporciona um efeito fotoprotetor contra a radiação solar e artificial, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da peleFoto: Shutterstock
Luteína combate manchas e fotoenvelhecimento da pele
Estudos já comprovaram que a luz emitida por computadores, televisores e lâmpadas fluorescentes pode causar manchas na pele, assim como os raios ultravioleta (UVA e UVB). Mas, o que pouca gente sabe é que a luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - pode proporcionar um efeito fotoprotetor contra todas essas radiações, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da pele. Os benefícios desse ativo para a cútis começaram a ser valorizados há cerca de cinco anos quando a revista científica americana Skin Pharmacology and Physiology divulgou um estudo que apontou a luteína como uma poderosa arma antioxidante contra o fotoenvelhecimento cutâneo, causad…

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

UC-II COLAGENO NÃO DESNATURADO DUAS VEZES MAIS ATIVO DO QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA A cartilagem é um dos tecidos conjuntivos primários do corpo, proporcionando flexibilidade e suporte para as articulações ósseas. O colageno tipo II não desnaturado, é a principal proteína estrutural na cartilagem que é responsável pela sua resistência à tração e firmeza. Derivado de cartilagem de frango, UC-II® consiste em colágeno tipo II não desnaturado que age juntamente com o sistema imunológico para manter as articulações saudáveis e promover a mobilidade e flexibilidade das articulações. UC-II® tem sua composição patenteada, e demonstrou a sua eficácia em estudos clínicos em humanos. Descrição O colágeno é uma proteína fibrosa presente na pele, tendões, ossos, dentes, vasos sangüíneos, intestinos e cartilagens, correspondendo a 30% da proteína total e a 6% em peso do corpo humano. Também é encontrada em diversos tecidos de animais. UC-II® é um colágeno do tipo II, não-desnaturado, derivado da cartil…

PROCAÍNA,A SENSAÇÃO CONTRA VELHICE

Um novo tratamento contra o envelhecimento está se tornando uma sensação no Brasil. Embora sua aplicação com essa finalidade não seja tão recente, a procaína benzóica estabilizada ganhou força na mídia, e hoje já é utilizada principalmente pelas classes sociais mais abastadas. Além de retardar o envelhecimento, o GH3, nome comercial da procaína, promete equilíbrio nos sistemas corporais, melhora na circulação sangüínea e combate à depressão. O geriatra e ortomolecular Eduardo Gomes e Azevedo trabalha com o GH3 há 27 anos, sendo inclusive usuário do medicamento. Ele alertou que o medicamento não faz milagres, apenas tem eficácia se utilizado num tratamento multidisciplinar. Azevedo contou que, no GH3, a procaína é somada ao metabissulfito de potássio, fosfato bissódico e ácido benzóico, diferente da procaína utilizada como anestésico. "Quando no organismo, a procaína benzóica se metaboliza, transformando-se no ácido para-amino-benzóico e no dietil-etanol-amino. Esses elementos são …