AVICIS(ALFAESTRADIOL) ANTI-QUEDA DE CABELO : SAIBA TUDO SOBRE A SUA AÇÃO,INDICAÇÃO E CONTRA-INDICAÇÃO

Avicis (alfaestradiol): saiba tudo sobre a sua ação, indicação e contraindicações
Em outras oportunidades, já registramos aqui informações bastante relevantes a respeito dos riscos a que, sem perceber, muitas pessoas acabam se expondo, recorrendo ao uso de determinados produtos comercializados como sendo “contra a calvície”, como é o caso de muitos xampus, condicionadores, cremes e loções intitulados “antiquedas”. Mas, além desses produtos, também é preciso salientar os perigos relacionados ao uso indiscriminado de medicamentos que vêm se popularizando no combate à excessiva perda de cabelo, dentre os quais podemos citar o Regaine (Minoxidil), o Finasterida e, agora, o Avicis, cujo princípio ativo é o alfaestradiol.
A prescrição do Avicis visa ao tratamento de um tipo de calvície bastante característica: a alopecia androgenética (desde que leve à moderada), popularmente chamada de “calvície hereditária”, na qual ocorre o afinamento (geralmente lento e progressivo) dos fios, sendo que o grande responsável pela perda acentuada do cabelo é ohormônio dihidrotestosterona (DHT), derivado da testosterona.
Apesar de conhecida como sendo um “hormônio masculino”, a testosterona também está presente no organismo das mulheres, embora em concentrações menores do que nos homens. Isso quer dizer que, conquanto habitualmente associe-se a alopecia androgenética a uma “calvície de padrão masculino”, ela também atinge as mulheres, ainda que em menor número.
Todavia, quanto à aplicação do Avicis por parte do público feminino, há uma informação na própria bula do medicamento que alerta: “O uso crônico em mulheres na pós-menopausa pode levar a sangramentos uterinos importantes e à supressão dos níveis plasmáticos de FSH e LH”*. Além disso, a sua prescrição para mulheres grávidas também deve ser feita com bastante cautela, sendo contraindicada àquelas que estejam amamentando.
Assim como em relação ao Regaine (Minoxidil), o Avicis (alfaestradiol) é um medicamento de uso tópico, isto é, a sua aplicação é feita diretamente no couro cabeludo. Em ambos os casos, porém, incluindo-se aí o Finasterida, cumpre destacar que não existe a cura da calvície: para minimizar e/ou até mesmo interromper a excessiva perda dos fios, o paciente deverá continuar sendo medicado por toda a vida.
Especificamente em relação à ação do Avicis, “o alfaestradiol acelera a atividade proliferativa das células matrizes capilares humanas in vitro, antagonizando o efeito inibitório da testosterona e diidrotestosterona sobre os folículos capilares anágenos humanos in vitro. O seu mecanismo de ação se dá, provavelmente, por meio da inibição da testosterona 5-a-redutase na pele”**. E, a respeito dos seus efeitos indesejáveis, consta que, “devido à presença de álcool na sua fórmula,podem surgir reações locais passageiras, tais como queimação, coceira ou avermelhamento do couro cabeludo após a aplicação do produto” **.
Outra particularidade que deve ser mencionada é a restrição do Avicis por parte de menores de 18 anos de idade, com os quais não foram realizados estudos acerca dos seus efeitos. Deste modo, apesar de a alopecia androgenética também se manifestar em jovens, o uso desse medicamento é contraindicado a este público.
Por fim, conforme o próprio laboratório esclarece quanto ao produto, “decisões relacionadas a tratamento de pacientes com o Avicis devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente” *. E, ainda, fica o alerta do próprio fabricante na bula* do medicamento: “[...] ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E, EMBORA AS PESQUISAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS IMPREVISÍVEIS, AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. [...]”

Sobre o Avicis e outros medicamentos que combatem a calvície

Sem dúvida, há inúmeros casos em que a ingestão e/ou a aplicação de determinados medicamentos pode ser necessária no tratamento da calvície, paralelamente ou não a outras ações, MAS isto desde que a prescrição seja feita pelo médico especialista no assunto.
Infelizmente, na maioria das vezes, o que se verifica é a arriscada prática da automedicação, seja devido a uma propaganda, porque se ouviu falar a respeito ou, ainda, por recomendação de algum parente ou conhecido. O que poucos consideram, de fato, é que, independentemente de serem indicados no combate à calvície, os efeitos que se podem esperar desses medicamentos estão diretamente relacionados ao tipo de alopecia que cada indivíduo manifesta.
É essencial que se tenha em mente que um remédio cujo nome possa se popularizar no tratamento da calvície não deve ser usado por toda e qualquer pessoa que esteja sofrendo com a queda acentuada dos fios, pois existem diferentes fatores a partir dos quais a alopecia se desencadeia, ecada medicamento age sobre uma causa específica. E, se a origem da calvície não tiver sido devidamente diagnosticada pelo profissional especializado na área (médico dermatologista/tricologista, do qual a Tricosalus Clinics dispõe), o usuário terá adquirido uma medicação que não apenas não atenderá às suas expectativas, como também o terá exposto a riscos em relação à sua própria saúde.
* Disponível em http://www.bulas.med.br/bula/7466/avicis+solucao+capilar.htm. Acesso em 1º mar. 2013;
**Disponível em http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/BM/BM[25620-1-0].PDF. Acesso em 1º mar. 2013.
 Fonte:http://www.tricosalus.com.br/blog/avicis-alfaestradiol-saiba-tudo-sobre-a-sua-acao-indicacao-e-contraindicacoes/

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

DIETA DETOX PARA MELHORAR MUITO PELE E CABELOS