FINASTERIDA PARA QUEDA DE CABELO : MITOS E VERDADES








Finasterida: os mitos e as verdades sobre este remédio

A finasterida, originalmente


Hoje o enfoque será dado a um outro medicamento cuja divulgação em relação à sua eficácia no combate à calvície obtém grande alcance, e que tem como princípio ativo afinasterida, comercializada com os nomes de Proscar, Propecia, Finalop, entre outros.
Inicialmente, a finasterida foi desenvolvida para tratar homens que sofressem de hiperplasia prostática, isto é, homens nos quais fosse constatado o aumento da próstata (o que provoca o estreitamento da uretra e, deste modo, a dificuldade para urinar). Contudo, um fato curioso, que chamou atenção da própria indústria farmacêutica que primeiro a lançou no mercado (Merck), foi o efeito que a tal substância estava provocando nos pacientes, que passaram a verificar um significativo aumento no crescimento dos próprios cabelos. E foi assim que a Merck decidiu investir no estudo da finasterida, que veio a se tornar a primeira pílula lançada para o tratamento da calvície masculina.

“Então, somente os homens podem tomar esse medicamento?”

A finasterida é um medicamento voltado aos homens, exclusivamente, e a sua ingestão visa a resolver tão-somente o problema da calvície hereditária, cientificamente chamada de “alopecia androgênica”, sendo que, para casos desta natureza, a sua ação se dá pela sua capacidade de inibir especificamente a 5-alfa-redutase, enzima que converte a testosterona em dihidrotestosterona (DHT).
Por este motivo é que, na própria bula do medicamento, consta, já entre as informações introdutórias, o alerta para que mulheres férteis ou grávidas não manuseiem comprimidos esfarelados ou quebrados de finasterida, uma vez que, por inibir a conversão de testosterona em dihidrotestosterona, a absorção do remédio por mulheres grávidas poderia causar anormalidades na genitália externa de fetos do sexo masculino.

Bem, e o que a tal enzima e os hormônios têm a ver com a queda dos cabelos, não é mesmo?

Tudo! Acontece que, quando tomada diariamente (a posologia recomendada é a de 1 comprimido de finasterida de 1 mg ao dia, com ou sem alimentos), a finasterida consegue reduzir os níveis de DHT, hormônio responsável pela miniaturização dos folículos pilosos – ou seja, o que pode causar a perda de cabelo. Logo, diminuindo-se os níveis da produção deste hormônio evita-se o enfraquecimento dos folículos e, por consequência, a perda dos fios.

“Ouvi falar que a finasterida causa impotência sexual. Isso é verdade?”

Não. A administração da finasterida foi avaliada em estudos clínicos, dentre os quais 945 homens foram tratados com essa substância e 934 receberam placebo, obtendo-se os seguintes resultados[1]:
945 homens – finasterida934 homens – placebo
diminuição da libido1,8 %1,3 %
diminuição da função erétil1,3 %0,7 %
Conforme se pode perceber, não houve, na comparação dos resultados, uma relevante diferença percentual entre os pacientes que administraram a finasterida e aqueles que ingeriram placebo. Na bula do medicamento, inclusive, consta que não existiu descontinuidade do tratamento em razão dos efeitos colaterais apresentados.

Muito bem: sou homem, estou ficando calvo e me interessei pelo resultado que a finasterida apresenta. Posso comprar o medicamento e começar a tomá-lo agora mesmo?

Não, pois todo e qualquer medicamento só pode ser utilizado segundo a orientação médica.
O próprio laboratório fabricante ressalva: “Todas as informações contidas na bula de Finasterida 1mg têm a intenção de informar e educar, não pretendendo, de forma alguma, substituir as orientações de um profissional médico ou servir como recomendação para qualquer tipo de tratamento. Decisões relacionadas a tratamento de pacientes com Finasterida 1mg devem ser tomadas por profissionais autorizados, considerando as características de cada paciente..
Assim, levando-se em conta as características de cada pessoa, é necessário que, antes do início de qualquer tratamento para a calvície, possa ser diagnosticada qual é, precisamente, a sua causa. Em esta se tratando de alopecia androgênica, a finasterida pode ou não ser recomendada, a depender da avaliação que o médico fará a respeito de cada paciente. Até porque, da mesma forma como em relação ao minoxidil (medicamento de uso tópico), a finasterida, isoladamente, não resolve por completo o problema da calvície.
A par de todas essas informações em suas minúcias e na sua abrangência, a Tricosalus é uma renomada clínica que dispõe de médicos reconhecidamente qualificados para diagnosticar as causas da alopecia e orientar cada um dos interessados no tratamento que melhor lhe convém.
E, em havendo a possível prescrição da finasterida como um importante elemento coadjuvante na ação de combate à calvície, o paciente da Tricosaluspoderá contar com a certeza de que se trata da indicação de um dermatologista feita com total conhecimento e responsabilidade – o que, além de estabelecer a necessária relação de confiança para o sucesso do tratamento, contribui para fazer toda a diferença na verificação do seu resultado final.

[1] Informações extraídas da bula do medicamento do laboratório Biosintética e que se encontram disponíveis emhttp://www.bulas.med.br/bula/7373/finasterida.htm. Acesso em 29 ago. 2012.
Fonte:http://www.tricosalus.com.br/blog/finasterida-os-mitos-e-as-verdades-sobre-este-remedio/

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

DIETA DETOX PARA MELHORAR MUITO PELE E CABELOS