UTILZAÇÃO DE ANTITRANSPIRANTES E CÂNCER DE MAMA

cuidado com o desodorante
Utilização de antitranspirantes e o câncer de mama


Antiperspirantes ou antitranspirantes são produtos que inibem ou diminuem a transpiração. A diferença entre desodorante e antitranspirante é que o primeiro serve para remover o odor das axilas, enquanto o segundo é responsável por reduzir a quantidade de suor produzido. Grande parte dos antitranspirantes funciona também como desodorante, porém a maioria dos desodorantes não atua como antitranspirante.

Os antitranspirantes possuem em sua composição sais de alumínio e derivados. Por este motivo, algumas pessoas questionam se estes compostos em contato com o corpo propiciariam o desenvolvimento de câncer de mama. Outra associação refere-se ao fato de que a maior incidência da doença ocorre no quadrante superior da área do peito, local utilizado para aplicação do produto, onde estão localizados os nódulos linfáticos.

No entanto, sabe-se que a maior incidência de câncer nesse quadrante é percebida, uma vez que nele se encontra a maior quantidade de tecido mamário, o que aumenta as chances para o desenvolvimento da doença.

Segundo parecer técnico divulgado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), não existe até o momento dados significativos na literatura científica que relacionem os sais de alumínio presentes na fórmula dos antitranspirantes com a incidência de câncer de mama.
Em janeiro de 2004 foi publicado na revista Journal of Applied Toxicology um artigo assinado por pesquisadores da University of Reading, na Grã-Bretanha (GB), demonstrando a presença de altas concentrações de parabenos em tecidos retirados de tumores mamários de mulheres que usavam este tipo de desodorante.
No entanto, no editorial da mesma revista, há um outro artigo de pesquisadores do Departamento de Toxicologia do Laboratório Covance (GB) questionando o desenho do Estudo, a inferência dos resultados tendo em vista que o número de amostras de tecido coletado de tumores mamários foi pequeno (n=20). Questionou-se também a toxicidade desses compostos e a limitação de dados sobre exposição humana disponíveis na literatura.
Tomando-se como referência o parecer da American Cancer Society sobre este assunto, é possível que alguns anti-perspirantes possam irritar a pele e que não é raro o desenvolvimento de uma infecção chamada hidradenite supurativa, que se inicia na glândula sudorípara na axila ou região inguinal. Esta infecção pode levar à bacteremia (bactérias na corrente sanguínea) e choque se não tratado adequadamente. A depilação com lâmina pode agravar uma infecção axilar.
Entre os inúmeros estudos epidemiológicos que descrevem os fatores de risco associados ao desenvolvimento de câncer de mama este parece ser o primeiro que estabelece que o uso de anti-perspirante aumenta o risco para câncer de mama. Portanto, deve-se considerar que ainda não há estudos suficientes nem conclusivos que comprovem a associação positiva entre a exposição a parabenos e a presença de danos no DNA que poderiam levar ao câncer.
Os principais fatores de risco para câncer de mama são o histórico familiar, obesidade, alimentação inadequada, tabagismo e faixa etária elevada. A ação mais efetiva que as mulheres podem adotar para se protegerem é submeterem-se anualmente ao exame clínico, fazer mamografia periodicamente. Embora não previna do câncer de mama, a adoção dessas práticas certamente aumentará as chances de detectá-lo precocemente, quando é mais facilmente tratado.

 Fone:http://www1.inca.gov.br/
conteudo_view.asp?ID=23

CUIDADO COM O DESODORANTE


O desodorante comum, como o próprio nome já diz, reduz o odor, inibindo a produção do mau cheiro. Já o antitranspirante (também conhecido como antiperspirante) é diferente. Ele bloqueia a saída da transpiração.

É o que explica o professor e especialista em Cosmetologia, Maurício Pupo. "O desodorante é menos agressivo que o antitranspirante, pois não contém alumínio em sua fórmula". Ele explica que os desodorantes geralmente são feitos com agentes antissépticos, que inibem o crescimento bacteriano, responsável pela fermentação do suor e do mau cheiro. Ao eliminar essas bactérias, o mau cheiro desaparece.
Nos desodorantes são usados em geral óleos essenciais como o sândalo, ou ainda ingredientes sintéticos, como o triclosan. "Existe ainda o velho e bom desodorante de bicarbonato de sódio, que é o mais seguro que existe. Ele modifica o pH da pele e inibe assim o crescimento bacteriano", afirma o especialista.
Entretanto, os desodorantes nunca são tão potentes como os antitranspirantes. Os antitranspirantes, impedem a saída da transpiração, fazendo com que o suor fique retido dentro do poro. E ele faz isso graças à presença do alumínio, que tem o poder de fechar os poros. Quanto mais alumínio existe na formulação, mais ele irá fechar os poros e por mais tempo os manterá fechados. É o caso dos desodorantes 24, 48 horas. Daí vem sua eficiência. Não havendo saída do suor não há também o mau cheiro.

Alerta -
Porém existe uma grande corrente de cientistas no mundo todo pesquisando se o alumínio faz ou não mal à nossa saúde. Especialmente em países como o Brasil, onde o uso é exagerado e os consumidores procuram produtos de longa duração, ou seja, aqueles com maior concentração de alumínio em sua fórmula. É algo preocupante, já que diariamente o alumínio é depositado na superfície da pele, além de estarmos respirando o alumínio cada vez que pressionamos a válvula do aerosol.
E atenção mulheres, fiquem atentas aos riscos de câncer. Alguns desses cientistas afirmam que a aplicação do alumínio na forma de antitranspirantes pode estar relacionado ao aparecimento docâncer de mama em mulheres jovens. Também foi encontrado o alumínio em tecidos cancerosos retirados da mama em mulheres.
Estudos médicos dizem que ele realmente pode ser perigoso. "Na Europa observamos uma enxurrada de lançamentos de produtos "aluminum-free", ou seja, que não contêm alumínio. As empresas de lá estão usando estratégias para atrair mais consumidores, até porque a conscientização dos consumidores europeus é muito mais alta", revela Pupo.
Pupo conta que na França, a linha La Roche Posay tem um desodorante em bastão com bicarbonato que é excelente. Acontece que, segundo ele, os hábitos europeus são diferentes dos brasileiros. Segundo ele, o brasileiro tem como principal preocupação reduzir a transpiração, já o europeu não, porque lá não faz calor como o daqui.
Por isso o especialista aconselha alguns cuidados que as mulheres devem ter, não só com a escolha do produto. "Um brasileiro que nessa época costuma tomar dois banhos por dia não precisa exagerar tanto no antitranspirante, nem buscar aqueles produtos ultrapotentes com 24 ou 36 horas de duração. Isso, somado ao fato da mulher brasileira estar viciada em depilação, o que provoca o escurecimento das axilas. Excesso de depilação e excesso de transpirante é um maltrato com a pele".
Pupo sugere que o ideal é depilar menos, e quando depilar, nunca usar imediatamente o desodorante, mas um bom hidratante para reparar a pele irritada. E também procurar usar mais os desodorantes ao invés dos antitranspirantes, pois os primeiros não contém alumínio e assim como o antitranspirante, existem boas opções em forma de sprays, cremes e roll-ons.
Fonte:http://vilamulher.com.br/bem-estar/saude/cuidado-com-o-desodorante-11-1-60-405.html

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

DIETA DETOX PARA MELHORAR MUITO PELE E CABELOS