Pular para o conteúdo principal

DOCUMENTOS SECRETOS PROVAM QUE A VACINA TRÍPLICE VIRAL CAUSA AUTISMO



Confirmado: Documentos Secretos Provam que a Vacina Triplice Viral Causa Autismo 

O debate em curso sobre a possibilidade ou não das vacinas causarem o autismo, provavelmente, assumiria um tom completamente diferente se a informação chave que tem sido quase sempre censurada do público fosse totalmente trazida à luz. Documentos secretos que estavam trancados por mais de duas décadas revelam que a vacina tríplice viral (MMR) contra o sarampo, caxumba e rubéola causam autismo, e os órgãos reguladores, os executivos de drogas e vários outros têm conhecimento sobre isso por um longo tempo.
Um pedido arquivado da Freedom of Information Act ( FOIA) no Reino Unido obrigou o Ministério da Saúde a liberar os documentos confidenciais delineando os detalhes da aprovação inicial da MMR na década de 1980. Estes documentos revelam que a GlaxoSmithKline (GSK), fabricante da vacina MMR Pluserix, sabia que haviam problemas com a vacina, causando uma alta taxa de efeitos adversos em crianças. Entre estes estavam a encefalite e outras condições associadas ao autismo. Veja a matéria no Daily Mail.
Preocupado que o governo britânico estivesse retendo informações sobre os perigos da MMR do público, o pedido da FOIA foi apresentado em resposta ao crescente número de crianças vacinadas que estão adoecendo com debilitantes problemas de intestino, danos cerebrais e outros sintomas que se acredita estarem associados com a MMR. Como se vê, essas suspeitas estão agora validadas.
Nós temos compensado [financeiramente] os casos em que as crianças apresentaram uma encefalopatia, ou doenças cerebrais em geral“, admitiu Tina Cheatham, Conselheira Sênior do Administrador de Recursos e Serviços de Saúde Administração do Departamento de Saúde e Serviços Humanos (HHS) dos EUA, em um e-mail à Sharyl Attkisson da CBS News. “A encefalopatia pode ser acompanhada por uma progressão médica de uma variedade de sintomas, incluindo comportamento autista, autismo, ou convulsões.”
CDC, pediatras, governo dos Estados Unidos e a Merck todos admitem que a vacina MMR causa autismo
Esta admissão é enorme, visto que a encefalopatia após a vacinação é um gatilho conhecido dos sintomas autistas, e algo que os documentos confidenciais do Reino Unido também admitem. A GSK, o governo britânico e vários outros, todos mantiveram esta informação em segredo, mesmo depois de almas corajosas como o Dr. Andrew Wakefield vir a público com os dados que ligam a vacina MMR aos efeitos na saúde relacionados com o autismo.
Lendo nas entrelinhas, as autoridades de saúde têm, na verdade, ligado a MMR ao autismo  – mas eles não virão a público e dirão isso. A rubéola, por exemplo, o componente do sarampo alemão da MMR, tem sido conhecido por ser uma causa do autismo desde os anos 1960. O Centros para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) admitiu isso publicamente, assim como o Programa Nacional de Imunização (hoje o Centro Nacional de Imunização e Doenças Respiratórias). Mesmo a Merck & Co. uma das principais fabricantes de vacinas MMR, admitiu que as vacinas em geral podem causar autismo.
“A Rubéola (síndrome da rubéola congênita) é uma das poucas causas comprovadas de autismo“, afirmou Walter A. Orenstein, MD, ex-assistente do cirurgião geral e diretor do Programa Nacional de Imunizações, em uma carta ao Diretor Médico do Reino Unido de 2002.
O vírus da rubéola  é uma das poucas causas conhecidas de autismo“, explicou o CDC em sua página de “FAQs (perguntas frequentes) sobre a vacina MMR e autismo“,  a qual já foi removida da vista do público. Ela ainda está disponível em alguns arquivos da web.
A Dra. Julie Gerberding, MD, MPH, atual Presidente da Divisão de Vacinas da Merck,  também está no documento admitindo que as pessoas com predisposição para disfunção mitocondrial podem desenvolver autismo após a vacinação. Um mínimo de 20 por cento dos casos de autismo induzidos pela vacina são associados à disfunção mitocondrial.
Agora, todos nós sabemos que as vacinas podem, ocasionalmente, causar febres em crianças“, declarou o Dr. Gerberding de volta em 2008, durante um segmento no House Call com o Dr. Sanjay Gupta intitulado “Desvendando o Mistério do Autismo.”
Então, se uma criança foi imunizada que teve uma febre, teve outras complicações de vacinas. E se você é predisposto à doença mitocondrial, certamente pode desencadear algum dano. Alguns do sintomas podem ser os sintomas que têm características do autismo.”
Leia mais:
cdc_vacina_autismo

Denunciante Confessa que o CDC Falsificou Dados Para Ofuscar a Ligação entre as Vacinas e o Autismo


Carta Secreta do Whistleblower do CDC à Gerberding  Como a Mídia Censura Desesperadamente a Históri

Vacinas x Autismo: Carta Secreta do Denunciante do CDC – Mídia Censura Desesperadamente a História Explosiva


Fontes:
– Natural News: Massive vaccine cover-up confirmed: Secret documents prove vaccines cause autism
– Child Health Safety: Read here what will be discovered and more.
– Daily Mail: Confidential MMR vaccine files open watchdog rules
– Science Natural News: Scientific studies on autism



Leia mais: http://www.noticiasnaturais.com/2014/09/confirmado-documentos-secretos-provam-que-a-vacina-triplice-viral-causa-autismo/#ixzz3b0NVNyQt

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

A luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - proporciona um efeito fotoprotetor contra a radiação solar e artificial, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da peleFoto: Shutterstock
Luteína combate manchas e fotoenvelhecimento da pele
Estudos já comprovaram que a luz emitida por computadores, televisores e lâmpadas fluorescentes pode causar manchas na pele, assim como os raios ultravioleta (UVA e UVB). Mas, o que pouca gente sabe é que a luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - pode proporcionar um efeito fotoprotetor contra todas essas radiações, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da pele. Os benefícios desse ativo para a cútis começaram a ser valorizados há cerca de cinco anos quando a revista científica americana Skin Pharmacology and Physiology divulgou um estudo que apontou a luteína como uma poderosa arma antioxidante contra o fotoenvelhecimento cutâneo, causad…

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

UC-II COLAGENO NÃO DESNATURADO DUAS VEZES MAIS ATIVO DO QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA A cartilagem é um dos tecidos conjuntivos primários do corpo, proporcionando flexibilidade e suporte para as articulações ósseas. O colageno tipo II não desnaturado, é a principal proteína estrutural na cartilagem que é responsável pela sua resistência à tração e firmeza. Derivado de cartilagem de frango, UC-II® consiste em colágeno tipo II não desnaturado que age juntamente com o sistema imunológico para manter as articulações saudáveis e promover a mobilidade e flexibilidade das articulações. UC-II® tem sua composição patenteada, e demonstrou a sua eficácia em estudos clínicos em humanos. Descrição O colágeno é uma proteína fibrosa presente na pele, tendões, ossos, dentes, vasos sangüíneos, intestinos e cartilagens, correspondendo a 30% da proteína total e a 6% em peso do corpo humano. Também é encontrada em diversos tecidos de animais. UC-II® é um colágeno do tipo II, não-desnaturado, derivado da cartil…

PROCAÍNA,A SENSAÇÃO CONTRA VELHICE

Um novo tratamento contra o envelhecimento está se tornando uma sensação no Brasil. Embora sua aplicação com essa finalidade não seja tão recente, a procaína benzóica estabilizada ganhou força na mídia, e hoje já é utilizada principalmente pelas classes sociais mais abastadas. Além de retardar o envelhecimento, o GH3, nome comercial da procaína, promete equilíbrio nos sistemas corporais, melhora na circulação sangüínea e combate à depressão. O geriatra e ortomolecular Eduardo Gomes e Azevedo trabalha com o GH3 há 27 anos, sendo inclusive usuário do medicamento. Ele alertou que o medicamento não faz milagres, apenas tem eficácia se utilizado num tratamento multidisciplinar. Azevedo contou que, no GH3, a procaína é somada ao metabissulfito de potássio, fosfato bissódico e ácido benzóico, diferente da procaína utilizada como anestésico. "Quando no organismo, a procaína benzóica se metaboliza, transformando-se no ácido para-amino-benzóico e no dietil-etanol-amino. Esses elementos são …