Pular para o conteúdo principal

POR QUE O CDC E A ANVISA RECOMENDAM ÀS MULHERES GRÁVIDAS VACINAS CONTRA A GRIPE COM MERCÚRIO ?



Por que o CDC e a ANVISA Recomendam às Mulheres Grávidas Vacinas contra a Gripe com Mercúrio? 

Supondo que você acredite que o governo diz, as vacinas para a gripe têm sido exaustivamente testadas e apresentadas para ajudar a prevenir a gripe, assim como as complicações da gripe, em mulheres grávidas e seus bebês em gestação. Mas se você olhar para a ciência real por trás dessas afirmações capciosas, incluindo as bulas inseridas em praticamente todas as vacinas contra a gripe, você verá rapidamente que nada disso é verdade, e que as vacinas contra a gripe nunca foram provadas como sendo seguras ou eficazes em mulheres grávidas. Em quase todos os casos, as vacinas da gripe carregam uma frase simples que desafia o que os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA pretende convencer a todos nós sobre a natureza das vacinas contra a gripe – “segurança e eficácia não foram estabelecidas em mulheres grávidas ou mães que amamentam.
Todo profissional de saúde deve estar ciente deste fato, visto que praticamente todos os lotes de vacinas contra a gripe vem com este ou um aviso similar. No entanto, a crença predominante é que as vacinas contra a gripe são uma espécie de panaceia para as gestantes e seus bebês.
No item Uso na gravidez e lactação a bula Fluzone diz: “Estudos de reprodução em animais não foram realizados com a vacina contra o vírus influenza. Não sabe se a vacinação em mulheres grávidas pode causar dano ao feto“.
Até o momento, não houve um único estudo colocado em evidência que sugira quaisquer benefícios que seja para as mulheres grávidas que recebem vacinas contra a gripe. Muitas autoridades médicas admitem abertamente isso, embora de uma forma indireta o que sugere que as vacinas da gripe são seguras para mulheres grávidas. O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas (ACOG), por exemplo, afirma em seu site que “nenhum estudo até hoje viu uma consequência adversa” de vacinas contra a gripe em mulheres grávidas ou a seus descendentes. Mas isso é porque em primeiro lugar nenhum estudo deste tipo com um projeto válido foi jamais realizado.
95 por cento dos estudos de vacinas contra a gripe publicados são inerentemente falhos
Dos mais de 200 estudos publicados sobre vacinas contra a gripe que foram analisados ​​como parte da Cochrane Vaccine Field na Itália, foram encontradas falhas que invalidam suas descobertas em surpreendentes 95 por cento. Um mero 5 por cento, diz o Dr. Thomas Jefferson, coordenador do estudo, pode ser considerado confiável, o que sugere que a maioria do que está sendo dito sobre as vacinas contra a gripe é falso.
Até mesmo o CDC admite que vacinas contra a gripe estão “entre os menos eficazes imunizantes disponíveis“, especialmente entre os idosos. E ainda, no mesmo fôlego, o CDC é o primeiro a proclamar que a melhor defesa contra a gripe para todos com mais de seis meses de idade é ser injetado com uma vacina contra a gripe. Como podem as duas afirmações serem verdade, você pode estar se perguntando?
Leia também: [ESTUDO] Cientista da Universidade Johns Hopkins Detona Com a Vacina da Gripe
Elas não são, é claro. Mas pucos membros do público parecem tão preocupados com a duplicidade do governo americano sobre o assunto. Na verdade, as vacinas contra a gripe são basicamente inúteis, como nós cobrimos em 2011, depois de um estudo publicado no jornal científico  The Lancet o constatou que apenas 1,5 em cada 100 adultos que recebe uma vacina contra a gripe evita contrair a gripe.
E depois, há a questão da segurança da vacina contra a gripe, que também foi totalmente mal interpretada pelos próprios órgãos que deveriam estar olhando para a nossa saúde. Um estudo publicado em 2013 pelo BMJ descobriu que, ao contrário do alegado populares, as vacinas contra a gripe são “menos benéficas e menos seguras do que tem sido afirmado“. Os pesquisadores da Austrália determinaram que uma em cada 110 crianças que receberam a vacina contra a gripe H1N1 para a gripe suína em 2009 desenvolveram convulsões graves. Muitos outros desenvolveram narcolepsia, assim como nós relatamos anteriormente.
Leia mais:
OMS Confirma que Gripe sazonal mata 27 vezes mais que H1N1 – Mesmo assim segue com Pandemia nível 6
h1n1 (1)
[Vacinação H1N1] Indignação! Passado Um Ano Estatísticas de Efeitos Adversos Não Foram Liberadas e Meus Pedidos Sumariamente Ignorados



Fontes:
– Natural News: Why does CDC recommend pregnant women be injected with mercury-filled flu vaccines?– [Estudo] The Lancet: Efficacy and effectiveness of influenza vaccines: a systematic review and meta-analysis
– GreenMedInfo: The Deadly Truth About Flu Vaccines and Pregnancy
– Natural News: Shock vaccine study reveals influenza vaccines only prevent the flu in 1.5 out of 100 adults (not 60% as you’ve been told)
– Vaccination Council: A Shot Never Worth Taking: The Flu Vaccine
– Science Natural News: Scientific studies on vaccines 
– Sciente Natural News: Scientific studies on flu


 http://www.noticiasnaturais.com/2014/09/por-que-o-cdc-e-anvisa-recomendam-as-mulheres-gravidas-vacinas-contra-a-gripe-com-mercurio/#ixzz3b0RuA1Ju

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

A luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - proporciona um efeito fotoprotetor contra a radiação solar e artificial, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da peleFoto: Shutterstock
Luteína combate manchas e fotoenvelhecimento da pele
Estudos já comprovaram que a luz emitida por computadores, televisores e lâmpadas fluorescentes pode causar manchas na pele, assim como os raios ultravioleta (UVA e UVB). Mas, o que pouca gente sabe é que a luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - pode proporcionar um efeito fotoprotetor contra todas essas radiações, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da pele. Os benefícios desse ativo para a cútis começaram a ser valorizados há cerca de cinco anos quando a revista científica americana Skin Pharmacology and Physiology divulgou um estudo que apontou a luteína como uma poderosa arma antioxidante contra o fotoenvelhecimento cutâneo, causad…

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

UC-II COLAGENO NÃO DESNATURADO DUAS VEZES MAIS ATIVO DO QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA A cartilagem é um dos tecidos conjuntivos primários do corpo, proporcionando flexibilidade e suporte para as articulações ósseas. O colageno tipo II não desnaturado, é a principal proteína estrutural na cartilagem que é responsável pela sua resistência à tração e firmeza. Derivado de cartilagem de frango, UC-II® consiste em colágeno tipo II não desnaturado que age juntamente com o sistema imunológico para manter as articulações saudáveis e promover a mobilidade e flexibilidade das articulações. UC-II® tem sua composição patenteada, e demonstrou a sua eficácia em estudos clínicos em humanos. Descrição O colágeno é uma proteína fibrosa presente na pele, tendões, ossos, dentes, vasos sangüíneos, intestinos e cartilagens, correspondendo a 30% da proteína total e a 6% em peso do corpo humano. Também é encontrada em diversos tecidos de animais. UC-II® é um colágeno do tipo II, não-desnaturado, derivado da cartil…

PROCAÍNA,A SENSAÇÃO CONTRA VELHICE

Um novo tratamento contra o envelhecimento está se tornando uma sensação no Brasil. Embora sua aplicação com essa finalidade não seja tão recente, a procaína benzóica estabilizada ganhou força na mídia, e hoje já é utilizada principalmente pelas classes sociais mais abastadas. Além de retardar o envelhecimento, o GH3, nome comercial da procaína, promete equilíbrio nos sistemas corporais, melhora na circulação sangüínea e combate à depressão. O geriatra e ortomolecular Eduardo Gomes e Azevedo trabalha com o GH3 há 27 anos, sendo inclusive usuário do medicamento. Ele alertou que o medicamento não faz milagres, apenas tem eficácia se utilizado num tratamento multidisciplinar. Azevedo contou que, no GH3, a procaína é somada ao metabissulfito de potássio, fosfato bissódico e ácido benzóico, diferente da procaína utilizada como anestésico. "Quando no organismo, a procaína benzóica se metaboliza, transformando-se no ácido para-amino-benzóico e no dietil-etanol-amino. Esses elementos são …