Pular para o conteúdo principal

O ALUMÍNIO PODE ESTAR ENVENENANDO NOSSOS CÉREBROS E CAUSANDO ALZHEIMER

t1larg.depression.ts

O Alumínio Pode Estar Envenenando Nossos Cérebros e Causando Alzheimer 

O professor Chris Exley afirma que o envenenamento por alumínio poderia causar a doença de Alzheimer
* O alumínio acumula-se no cérebro até o “limiar tóxico”, altura que o cérebro não pode suportar
* Isto trará sintomas precoces da doença de Alzheimer e tornará a condição pior
* O composto de metal agora é encontrado em quase tudo que comemos e bebemos
* Encontrado no chá, bolos, pão, vinho, cosméticos e medicamentos como a aspirina
* Estudo baseado em um estudo anterior, o qual encontrou a ligação entre o alumínio e o câncer
O alumínio encontrado em alimentos, cosméticos e medicamentos poderia estar envenenando nossos cérebros e causando a doença de Alzheimer, afirmou um pesquisador britânico.
O alumínio acumula-se no cérebro, eventualmente causando a contaminação que pode causar a doença de Alzheimer, afirmou o professor Christopher Exley, da Universidade de Keele.
O composto de metal é encontrado na maioria dos alimentos processados, chá, vinho, refrigerantes, cosméticos e medicamentos como a aspirina.
O professor Exley disse que o próprio fato dos estudos revelarem que os acúmulos de alumínio no cérebro devem servir como um alerta de que estamos sendo contaminados.
Ele disse: “A presença de alumínio no cérebro humano deve ser uma bandeira vermelha alertando a todos nós para os potenciais perigos da era do alumínio.
Todos nós estamos acumulando uma neurotoxina conhecida em nosso cérebro do nosso nascimento até a nossa morte.
Por que nós tratamos essa inevitabilidade com quase total complacência?
Seu mais recente estudo baseia-se em seu trabalho anterior, no qual sugere que há uma ligação entre o alumínio encontrado em desodorantes e o câncer.
O alumínio é o metal mais abundante na crosta terrestre, e é encontrado naturalmente em alimentos, porque as plantas o absorve da água e do solo.
Enquanto que há 50 anos atrás, nós podemos ter ingerido pequenas quantidades de alumínio à partir de legumes e de panelas nas quais foram preparados, hoje ele é adicionado a quase tudo o que consumimos.
O sulfato de alumínio é adicionado à água para torná-la mais clara, e é adicionado a bolos e biscoitos como um agente levedante.
Ele também é encontrado na maioria dos alimentos processados, corantes alimentares, chás, cacau, bebidas de malte, vinhos e refrigerantes.
Os cosméticos, talcos, pasta de dentes, protetor solar e antitranspirantes contêm alumínio, bem como drogas tais como a aspirina, antiácidos e vacinas.
O corpo excreta o alumínio, mas se for ingerido a mais do que o corpo pode excretar, ele é depositado no osso, cérebro, fígado, coração, baço e músculos.
O professor Exley afirma que o cérebro humano é tanto “um alvo quanto um depósito para o alumínio“, quando ele entra no corpo.
Em algum ponto, o alumínio acumulado no cérebro irá atingir um “limiar tóxico” e a área afetada do cérebro não será capaz de suportar, disse.
Se a mesma parte do cérebro está sofrendo de outras condições, portanto, reagir à presença de alumínio vai tornar a pior condição, acrescentou.
Ele concluiu que o alumínio poderia alimentar os sintomas precoces do Alzheimer, uma condição que afeta memória, e tornar a doença pior.
Ele disse: Desta forma, o alumínio pode causar uma condição particular que é mais agressiva e talvez com sintomas mais precoces – tais ocorrências já foram mostradas na doença de Alzheimer relacionadas à exposição ambiental e ocupacional ao alumínio.
A redução da exposição ao alumínio e remoção do corpo poderia prevenir a doença de Alzheimer, e outros testes devem ser realizados para provar a ligação, concluiu.
Seu estudo foi publicado na revista Frontiers in Neurology.

Fonte:http://verdademundial.com.br/2015/06/o-aluminio-pode-estar-envenenando-nossos-cerebros-e-causando-alzheimer/

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

A luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - proporciona um efeito fotoprotetor contra a radiação solar e artificial, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da peleFoto: Shutterstock
Luteína combate manchas e fotoenvelhecimento da pele
Estudos já comprovaram que a luz emitida por computadores, televisores e lâmpadas fluorescentes pode causar manchas na pele, assim como os raios ultravioleta (UVA e UVB). Mas, o que pouca gente sabe é que a luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - pode proporcionar um efeito fotoprotetor contra todas essas radiações, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da pele. Os benefícios desse ativo para a cútis começaram a ser valorizados há cerca de cinco anos quando a revista científica americana Skin Pharmacology and Physiology divulgou um estudo que apontou a luteína como uma poderosa arma antioxidante contra o fotoenvelhecimento cutâneo, causad…

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

UC-II COLAGENO NÃO DESNATURADO DUAS VEZES MAIS ATIVO DO QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA A cartilagem é um dos tecidos conjuntivos primários do corpo, proporcionando flexibilidade e suporte para as articulações ósseas. O colageno tipo II não desnaturado, é a principal proteína estrutural na cartilagem que é responsável pela sua resistência à tração e firmeza. Derivado de cartilagem de frango, UC-II® consiste em colágeno tipo II não desnaturado que age juntamente com o sistema imunológico para manter as articulações saudáveis e promover a mobilidade e flexibilidade das articulações. UC-II® tem sua composição patenteada, e demonstrou a sua eficácia em estudos clínicos em humanos. Descrição O colágeno é uma proteína fibrosa presente na pele, tendões, ossos, dentes, vasos sangüíneos, intestinos e cartilagens, correspondendo a 30% da proteína total e a 6% em peso do corpo humano. Também é encontrada em diversos tecidos de animais. UC-II® é um colágeno do tipo II, não-desnaturado, derivado da cartil…

PROCAÍNA,A SENSAÇÃO CONTRA VELHICE

Um novo tratamento contra o envelhecimento está se tornando uma sensação no Brasil. Embora sua aplicação com essa finalidade não seja tão recente, a procaína benzóica estabilizada ganhou força na mídia, e hoje já é utilizada principalmente pelas classes sociais mais abastadas. Além de retardar o envelhecimento, o GH3, nome comercial da procaína, promete equilíbrio nos sistemas corporais, melhora na circulação sangüínea e combate à depressão. O geriatra e ortomolecular Eduardo Gomes e Azevedo trabalha com o GH3 há 27 anos, sendo inclusive usuário do medicamento. Ele alertou que o medicamento não faz milagres, apenas tem eficácia se utilizado num tratamento multidisciplinar. Azevedo contou que, no GH3, a procaína é somada ao metabissulfito de potássio, fosfato bissódico e ácido benzóico, diferente da procaína utilizada como anestésico. "Quando no organismo, a procaína benzóica se metaboliza, transformando-se no ácido para-amino-benzóico e no dietil-etanol-amino. Esses elementos são …