Pular para o conteúdo principal

IMUNOTERAPIA: A REVOLUÇÃO NO TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER

imunoterapia

IMUNOTERAPIA: A REVOLUÇÃO NO TRATAMENTO CONTRA O CÂNCER

6 DE JULHO DE 2016
Nos últimos três anos, especialmente, cancerologistas do mundo todo puderam acompanhar o surgimento de inúmeros medicamentos para o tratamento do câncer. Os avanços na biologia molecular e na ciência translacional proporcionaram o desenvolvimento de pesquisas voltadas para uma forma revolucionária de tratar a doença, a imunoterapia. Diferente da forma de atuação dos medicamentos tradicionais como a quimio e radioterapia, a imunoterapia parece ser até então a grande alternativa para o câncer deixar de ser incurável.
Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Brasil, a estimativa para 2016 é que cerca de 300 mil mulheres e aproximadamente 295 mil homens desenvolvam algum tipo de câncer.  Hoje há mais de 100 tipos da doença e os tratamentos, embora diferentes para cada uma delas, resumem-se em: cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormônio terapia e terapia alvo.
O oncologista, da clínica Le Santé – Centro Avançado em Oncologia, Dr. Marcelo Ceron, explica que todos, de uma forma ou de outra, agem na tentativa de impedir que a célula doente desenvolva-se e multiplique-se. Na quimioterapia, por exemplo, o tratamento intoxica a célula cancerígena de uma maneira indiscriminada, o que pode ou não, matar também células sadias do organismo.
“Atualmente a gente está vendo uma revolução no arsenal terapêutico que o oncologista dispõe para combater o câncer. Praticamente todos os medicamentos novos que vêm surgindo nos últimos anos são baseados na imunoterapia”, revela Ceron. A nova vertente que está revolucionando o tratamento do câncer age de forma diferente dos tratamentos tradicionais. Ela usa alguns medicamentos não para destruir diretamente a célula, mas para fazer com que o próprio sistema imunológico do paciente combata a célula cancerígena.
Dr. Ceron explica ainda que todos nós possuímos células neoplásicas (cancerígenas) desde que nascemos, mas o sistema imunológico ou as elimina ou as mantêm travadas. Em alguns casos elas conseguem escapar do sistema de defesa e multiplicar-se indiscriminadamente causando o câncer.  O grande sucesso desses novos medicamentos é que eles conseguem retirar essa trava que o sistema imunológico sofre durante o processo de câncer. “É um tratamento mais no sentido de fortalecer e liberar a própria imunidade do organismo do paciente para que ele mesmo consiga eliminar a doença”, destaca o oncologista.
Referente às reações provocadas pelo uso da imunoterapia, o médico explica que podem ser diferentes em cada caso e estão ligadas basicamente aos efeitos colaterais pelo excesso de atuação do sistema imunológico. O paciente pode desenvolver doenças autoimunes como reumáticas e alérgicas, por exemplo.
Dr. Ceron acredita que dentro de algumas décadas o câncer vai, no máximo, se tornar uma doença crônica. Nos pacientes que não conseguirem eliminá-la completamente será possível ao menos mantê-la bloqueada, sendo possível uma vida normal com a doença sob controle, semelhante como ocorre hoje com a diabetes e a hipertensão, explica o médico. “Isso não há dúvidas de que vai acontecer, só que vai levar ainda algumas décadas para termos imunoterápicos que consigam bloquear todos os tipos de câncer”, ressalta ele.
Hoje, no mercado, já existem alguns imunoterápicos que estão aprovados e disponíveis para serem utilizados, principalmente no câncer de pele melanoma e no câncer de pulmão. O desafio é encontrar maneiras para que a população do mundo todo tenha acesso a estes medicamentos, porque ainda possuem custos elevados em função da alta tecnologia envolvida, que na grande maioria é americana e um pouco europeia. Segundo o cancerologista, no Brasil ainda há pouca pesquisa na área, o que existe aqui são alguns estudos multicêntricos que colaboram com pesquisas referentes à imunoterapia de outros países.
Paralelo a toda essa revolução no tratamento do câncer, Dr. Ceron lembra, ainda, sobre a importância da prevenção. “Algumas atitudes possuem efeito comprovado no combate ao câncer como a atividade física, a dieta rica em frutas e verduras, o baixo consumo de carne vermelha, boa qualidade de sono, o não consumo de cigarro e de álcool”, alerta o médico.
Fonte:http://blog.lesante.com.br/imunoterapia-a-revolucao-no-tratamento-contra-o-cancer/
IMG_4776
IMG_4790
IMG_4791

Fonte:http://blog.lesante.com.br/imunoterapia-a-revolucao-no-tratamento-contra-o-cancer/

imunoterapia

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

A luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - proporciona um efeito fotoprotetor contra a radiação solar e artificial, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da peleFoto: Shutterstock
Luteína combate manchas e fotoenvelhecimento da pele
Estudos já comprovaram que a luz emitida por computadores, televisores e lâmpadas fluorescentes pode causar manchas na pele, assim como os raios ultravioleta (UVA e UVB). Mas, o que pouca gente sabe é que a luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - pode proporcionar um efeito fotoprotetor contra todas essas radiações, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da pele. Os benefícios desse ativo para a cútis começaram a ser valorizados há cerca de cinco anos quando a revista científica americana Skin Pharmacology and Physiology divulgou um estudo que apontou a luteína como uma poderosa arma antioxidante contra o fotoenvelhecimento cutâneo, causad…

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

UC-II COLAGENO NÃO DESNATURADO DUAS VEZES MAIS ATIVO DO QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA A cartilagem é um dos tecidos conjuntivos primários do corpo, proporcionando flexibilidade e suporte para as articulações ósseas. O colageno tipo II não desnaturado, é a principal proteína estrutural na cartilagem que é responsável pela sua resistência à tração e firmeza. Derivado de cartilagem de frango, UC-II® consiste em colágeno tipo II não desnaturado que age juntamente com o sistema imunológico para manter as articulações saudáveis e promover a mobilidade e flexibilidade das articulações. UC-II® tem sua composição patenteada, e demonstrou a sua eficácia em estudos clínicos em humanos. Descrição O colágeno é uma proteína fibrosa presente na pele, tendões, ossos, dentes, vasos sangüíneos, intestinos e cartilagens, correspondendo a 30% da proteína total e a 6% em peso do corpo humano. Também é encontrada em diversos tecidos de animais. UC-II® é um colágeno do tipo II, não-desnaturado, derivado da cartil…

PROCAÍNA,A SENSAÇÃO CONTRA VELHICE

Um novo tratamento contra o envelhecimento está se tornando uma sensação no Brasil. Embora sua aplicação com essa finalidade não seja tão recente, a procaína benzóica estabilizada ganhou força na mídia, e hoje já é utilizada principalmente pelas classes sociais mais abastadas. Além de retardar o envelhecimento, o GH3, nome comercial da procaína, promete equilíbrio nos sistemas corporais, melhora na circulação sangüínea e combate à depressão. O geriatra e ortomolecular Eduardo Gomes e Azevedo trabalha com o GH3 há 27 anos, sendo inclusive usuário do medicamento. Ele alertou que o medicamento não faz milagres, apenas tem eficácia se utilizado num tratamento multidisciplinar. Azevedo contou que, no GH3, a procaína é somada ao metabissulfito de potássio, fosfato bissódico e ácido benzóico, diferente da procaína utilizada como anestésico. "Quando no organismo, a procaína benzóica se metaboliza, transformando-se no ácido para-amino-benzóico e no dietil-etanol-amino. Esses elementos são …