Pular para o conteúdo principal

COLÁGENO : ESPECIALISTAS ESCLARECEM DÚVIDAS SOBRE A PROTEÍNA

Em casa, use creme ricos em colágeno ou que tenham substâncias que são capazes de estimular a sua produção, como vitamina C (Foto: Thinkstock)

Colágeno: especialistas esclarecem dúvidas sobre a proteína


Em que alimentos encontra-se colágeno? A partir de que idade é indicado a ingerir nutricosméticos? Consultamos uma dermatologista e uma nutricionista para esclarecer essa e mais dúvidas


Muitas pessoas dizem que tomam colágeno para a pele. A proteína de fato traz benefícios: dá estrutura, firmeza e elasticidade tanta para o rosto como o copo, segundo a dermatologista Karla Assed, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology. Mas ainda existem dúvidas sobre o colágeno, como em que alimentos encontrá-lo, a partir de que idade deve-se começar a tomar a proteína em cápsulas, entre outras. A seguir, a dermatologista e a nutricionista Isabella Correia, da Clínica La Prath, no Rio de Janeiro, esclarecem essas e mais questões.


Realmente há uma queda na produção de colágeno no corpo a partir dos 30 anos? 
De acordo com a dermatologista, existe, sim, essa queda quando se chega aos 30. "As fibras de colágeno e elastina não são produzidas como antes e as fibras se desorganizam, deixando a renovação celular irregular e fazendo com que a pele perca cada vez mais a hidratação", diz. "A queda natural na produção de hormônios traz ainda mais prejuízo, como a perda de densidade, firmeza e elasticidade. Isso pode acelerar ainda mais com as alterações hormonais."
Quais alimentos são ricos em colágeno? 
"O colágeno é encontrado principalmente em peixes, carne e ovos, gelatina, frutas cítricas, frutas vermelhas, vegetais de cor verde escura, laranja, soja e ostra. A proteína é mais facilmente absorvida pelo organismo quando é de origem animal", afirma Karla.
A nutricionista alerta ao dizer que alguns alimentos atrapalham a produção de colágeno: “Refeições com alto teor de açúcar e alimentos com alta carga glicêmica fazem com que sejam produzidos muitos agentes de glicação avançada (AGEs), aumentando os radicais livres, que são extremamente oxidantes ao organismo. Esses produtos em excesso interferem diretamente na síntese do colágeno, estimulando o estresse oxidativo, flacidez e até envelhecimento precoce da pele”, explica.
O colágeno é responsável por dar estrutura, firmeza e elasticidade à pele (Foto: Thinkstock)
Pode-se consumir nutricosméticos de colágeno em qualquer idade?
Segundo Karla, quando se é muito jovem não há necessidade, pois o colágeno a mais não irá trazer benefício. "O ideal é a partir dos 30 anos."
Quantidade certa para ser consumida por dia? Varia de acordo com a idade?
"A quantidade ideal diária de colágeno a ser ingerida varia de pessoa para pessoa, normalmente é em torno de 2 gramas por kg", diz Karla.
Quais são os tratamentos estéticos mais recomendados para a reposição de colágeno?
"Hoje com tecnologia de ponta existem vários tratamentos para a produção do colágeno que varia de acordo com o grau de envelhecimento. Entre eles: ulthera, radiofrequência, fracionado, microagulhamento, fotona e aplicação de ácido polilatico", sugere a dermatologista. Em casa, ela indica usar cremes ricos em colágeno ou que tenham substâncias capazes de estimular a sua produção, como vitamina C, ácido retinóico, ácido hialurônico e ácido glicólico.
Fonte:http://revistamarieclaire.globo.com/Beleza/noticia/2017/11/colageno-especialistas-esclarecem-duvidas-sobre-proteina.html

8 perguntas sobre o colágeno, a proteína da beleza


O colágeno também garante saúde para pele, ossos e articulações, exercendo importante função estrutural no organismo

Relaxing bikini woman feeling good and free in outdoor nature br
Pés de galinha, flacidez, unhas e cabelos fracos. Mais do que vestígios da idade, estes sinais são um alerta para a falta de colágeno no corpo, cuja produção decai a partir dos 30 anos.
Depois dos 50 anos, a situação se agrava — passamos a produzir apenas 35% do colágeno necessário para o organismo. E para além das rugas, a falta de colágeno pode causar doenças sérias como osteoartrite, osteoporose e doenças cutâneas. “É uma perda bastante significativa, por isso a suplementação passa a ser importante”, comenta a nutricionista Maria Paula Carlini Cambi, doutora em Medicina Interna, que junto ao Viver Bem, tirou dúvidas referentes ao colágeno e sua suplementação.
O que é o colágeno?
O colágeno é uma das principais proteínas funcionais do corpo. Ela dá firmeza às estruturas corporais que não apresentam ossos, como a pele e as cartilagens, auxilia no processo de cicatrização e regeneração das células e também na hidratação.
Existe diferença entre homens e mulheres no que diz respeito à produção de colágeno?
Sim. A pele do homem é cerca de 25% mais grossa do que a da mulher— naturalmente, a densidade de colágeno neles é maior. Além disso, homens perdem colágeno de maneira constante e lenta, enquanto mulheres, em especial depois da menopausa, têm uma queda mais acentuada. Mas a reposição de colágeno é importante para ambos, independente da forma como o organismo assimila essa proteína.
Qual a melhor forma de repor o colágeno?
Existem diversas maneiras, mas o mais recomendado é o colágeno hidrolisado, ou seja, aquele cuja molécula de proteína sofreu uma quebra pela água, apresentando alto valor proteico e tornando-se solúvel. “Na forma hidrolisada o colágeno passa a ser melhor absorvido, então por isso ele é melhor aproveitado pelo organismo”, explica a nutricionista.
Vale comer gelatina?
Na verdade, a gelatina tem pouquíssima proteína… E muitos corantes artificiais e açúcares.
Só o colágeno adianta?
A suplementação precisa estar aliada a nutrientes que auxiliam a síntese desta proteína no corpo. No caso do colágeno, as vitaminas C e E têm papel fundamental nesse processo, então a combinação é altamente recomendada. A Ouro Fino Plus Up, por exemplo, é uma bebida produzida com água mineral natural, enriquecida com colágeno hidrolisado de alta pureza e também com vitaminas B3, B6, B12, C e E. Com duas garrafas por dia é possível fazer a suplementação recomendada e auxiliar o processo de síntese, de uma maneira fácil e prática — sem ingerir corantes ou açúcar.
Existe um horário ideal para fazer a reposição?
De acordo com a nutricionista, o horário não interfere na síntese do colágeno.
Existe alguma contra-indicação?
Nenhuma. “Pelo contrário, só há benefícios no consumo”, comenta Maria Paula.
E as crianças?
Elas não precisam repor colágeno, a menos que haja recomendação médica. Algumas crianças apresentam deficiências na produção dessa proteína, então nestes casos a reposição é indicada. “Alguns endocrinologistas indicam para crianças com dificuldade no crescimento, porque pode ser um sinal da falta de colágeno. Mas aí é preciso fazer um diagnóstico médico”, alerta Maria Paula.
Fonte:http://www.gazetadopovo.com.br/viver-bem/conteudo-patrocinado/8-perguntas-sobre-o-colageno-a-proteina-da-beleza/
Tudo sobre o Colágeno
O Colágeno é uma cadeia organizada de aminoácidos que constroem uma fibra resistente que constitui a estrutura do corpo. É a mais abundante proteína do corpo, totalizando 30% do total de proteínas.(OHGUCHI et al., 2006; OHARA et al., 2007). Os principais tipos de Colágeno são o Tipo 1 (ossos e pele) e o Tipo 2 (cartilagem). Devido ao seu perfil específico de aminoácidos, as propriedades nutricionais e funcionais do Colágeno Hidrolisado têm sido demonstradas, incluindo: Controle de peso (Saciedade), preveção e tratamento da osteoporose e da osteoartrite, na saúde e beleza da pele cabelo e unhas. Perfil de aminoácidos na proteína do colágeno Aminoácidos Proporção (%) Alanina 11 Arginina 9 Ácido Aspártico 6,7 Cisteína 0 Cistina 0,1 Ácido glutâmico 11,4 Glicina 27 Hidroxiprolina 13,8 Histidina 0,8 Isoleucina 1,5 Leucina 3,3 Lisina 4,3 Metionina 0,8 Fenilalanina 2,4 Prolina 16,0 Serina 4,1 Treonina 2,2 Triptofano 0 Tirosina 0,3 Valina 2,7 Colágeno hidrolisado é obtido principalmente a partir dos ossos, cartilagens e da pele de bovinos, peixes e suinos. No processo de hidrólise a molécula de colágeno de aproximadamente 450 kDa é quebrada em pequenos peptídeos de peso molecular médio de 2 a 5 KDa(OESSER et al., 1999). Os aminoácidos encontrados no colágeno hidrolisado são os mesmos do colágeno. São 20 aminoácidos incluindo 8 dos 9 essenciais, exceto o Triptofano. É caracterizada pelo predomínio de glicina, prolina e hidroxiprolina, o que representa cerca de 50% do total do conteúdo de aminoácidos. A concentração de glicina e prolina é 20 vezes maior do que em outras proteínas. A biodisponibilidade de colágeno hidrolisado tem sido demonstrada por inúmeros estudos. Em um estudo de 1999, cientistas demonstraram em camundongos que mais de 90% da administração oral de colágeno hidrolisado é digerido e absorvido em até 6 horas após a ingestão. Uma parte importante é acumulada na cartilagem e pele. Em outro estudo de 2005, os cientistas mostraram que os peptídeos de colágeno são absorvidos e encotrados no sangue. Do ponto de vista nutricional, o colágeno é considerado uma proteína não completa (OESSER et al., 1999), devido a ausência do aminoácido triptofano, além da baixa concentração de outros aminoácidos essenciais. Em vários estudos uso do colágeno hidrolisado tem obtido ótimos resultados para a saúde melhorando a circulação sanguínea (RAVELOJAONA et al., 2007; IWAI et al., 2005) e melhorando problemas articulares (MORGANTI e RANDAZZO, 1984; OHARA et al., 2007). Muitos outros usos terapêuticos vem sendo aplicados e estudados. Estudos mostram positivos efeitos da ingestão de colágeno hidrolisado no crescimento de cabelos e unhas (MORGANTI e RANDAZZO, 1984). Outros estudos têm identificado no sangue (OHARA et al., 2007; IWAI et al., 2005), ou no tecido cartilaginoso (OESSER et al., 1999) a presença de peptídeos de colágeno, após ingestão, esclarecendo o processo de absorção desta proteína. Castro, 2007 avaliou os efeitos anti-ulcerativo e antitumoral de colágeno hidrolisado bovino e suíno em ratos e camundongos respectivamente, onde o hidrolisado suíno apresentou em torno de 60% de inibição das lesões ulcerativas quando administrado em dose única e os hidrolisados bovinos no experimento de dose dupla, a porcentagem de inibição das lesões ulcerativas gástricas foi maior que 70%, e no tratamento antitumoral os hidrolisados bovino diminuíram a capacidade proliferativa celular. Oesser e Seifert, 2003 provaram a estimulação de biossíntese e secreção de colágeno tipo II em cultura de condrócitos bovino em presença de colágeno hidrolisado tipo I e fração e colágeno hidrolisado tipo II. Estudos demonstram que a ingestão de peptídeos de colágeno induz o aumento da densidade dos fibroblastos e aumenta a formação das fibras de colágeno da pele porcos (MATSUDA et al., 2006), e a ingestão de gelatina e peptídeos de colágeno, induzem em índices diferentes a síntese de colágeno em pele de ratos, (Shin’ichiro et al., 2002), sugerem que está menor indução da síntese de colágeno pela amostra de gelatina deve ser causada por sua massa molecular aumentada em relação aos peptídeos, sendo assim uma menor massa molecular é importante para a síntese de colágeno da pele. Benefícios do Colágeno Hidrolisado Comprovado Aumenta a elasticidade e firmeza da pele prevenindo a formação de rugas Comprovado Reduz as rugas pré existentes Comprovado Combate a flacidez da pele Comprovado Combate celulite e estrias Comprovado Promove o fortalecimento das unhas Comprovado Promove o crescimento e fortalecimento capilar Comprovado Combate a flacidez e auxilia no processo de emagrecimento Comprovado Aumenta a firmeza e tônus muscular Comprovado Ajuda na formação da massa muscular magra Comprovado Ajuda a evitar a perda de massa muscular Comprovado Diminui o tempo de recuperação entre exercícios Comprovado Aumenta a densidade de massa óssea Comprovado Preserva a saúde das articulações Comprovado Ajuda na regeneração da matriz articular Comprovado Atenua as dores causadas pela artrite Comprovado Ajuda a proteger as articulações durante as atividades físicas Comprovado Aumenta a força das articulações, tendões, e discos intervertebrais Comprovado Atenua sintomas de tendinites e LER Comprovado Ajuda a tratar lesões ulcerativas no trato gastrointestinal Em estudo Auxilia no funcionamento do sistema linfático Em estudo Estimula a secreção do hormônio do crescimento Colágeno – A super proteína O colágeno, é a principal proteína na constituição da tecido conjuntivo. Substância fundamental do tecido conjuntivo que, além de preencher as lacunas dos tecidos parenquimatosos, produz fibras colágenas, elásticas e reticulares. O termo colágeno deriva da palavra grega que significa cola. Sua primeira definição no dicionário surgiu em 1983 como sendo “aquele constituinte dos tecidos que, por aquecimento, dá origem à gelatina”(JUNQUEIRA,1993). Os colágenos são as principais proteínas da matriz extracelular(MEC) perfazendo aproximadamente 30% da massa protéica total do organismo, são os componentes estruturais da MEC, tendo papel fundamental na arquitetura tecidual, na resistência dos tecidos e em uma ampla variedade de interações célula-célula e célula-matriz (REINERT e JUNDT, 1999). O colágeno é uma proteína fibrosa, insolúvel e de importância fundamental na matriz extracelular(MEC) do tecido conjuntivo, sendo responsável por grande parte de suas propriedades físicas. Uma das principais funções do colágeno é a de manter a estrutura física do corpo, devido à sua grande resistência mecânica conferida pela sua organização macromolecular, que resulta na formação de fibras, principalmente, no caso do colágeno tipo I. Os colágenos são sintetizados como pró-colágenos. Após a secreção dessas moléculas para o meio extracelular, seus fragmentos terminais são clivados por meio de enzimas extracelulares, as colagenases. Com a clivagem, são formadas as moléculas de colágeno que se polimerizam para formar fibrilas e estas, se agregam para constituir as fibras colágenas (REINERT e JUNDT, 1999). O colágeno tipo I forma fibrilas de colágeno que são organizadas em fibras que se associam com outros tipos de fibras ou com as próprias fibrilas de colágeno (MILLER, 1976). O tamanho das fibrilas de colágeno é um fator importante para determinar a natureza física do tecido (PARRY et al., 1978). O tamanho das fibrilas de colágeno depende do tipo de tecido e das condições fisiológicas (HARALSSON e HASSEL, 1995). As taxas de síntese e de degradação do colágeno também podem determinar o tamanho das fibrilas de colágeno (ADACHI et al., 1999; BIRK et al., 1990) responsáveis por conferir força e resistência(CHOI et al., 2007). O colágeno tipo I é o principal componente estrutural da matriz extracelular (MEC), responsável pela manutenção da estrutura da derme (JUNG et al., 2007). Colágeno tipo I é primeiramente sintetizado pelos fibroblastos como um precursor solúvel, procolágeno tipo I, o qual é secretado pelos fibroblastos e sofre ação proteolítica para formar as fibras insolúveis de colágeno. O TGF-Beta é responsável pela transformação de procolágeno em fibra de colágeno (CHOI et al., 2007). É sabido que o TGF-Beta estimula a síntese de colágeno,timp1 e tem sido demonstrado que o TGF-Beta diminui a expressão das metalloproteinase-1 (MMP-1) e aumenta a expressão do metallopeptidase inhibitor 1 (TIMP-1). TGF é expresso em pele humana normal, em queratinócitos e fibroblastos.(SHIN et al., 2005). O colágeno é abundantemente encontrado na pele, tendões, vasos sanguíneos, cartilagem, ossos, córnea, estão presentes também nos interstícios de todos os outros tecidos e órgãos, com excessão do sangue, linfa e tecidos queratinosos. O colágeno é uma proteína formada a partir de 19 cadeias a diferentes (cadeia a: denominação dada a cada cadeia polipeptídica que forma a tripla hélice do colágeno) e que associadas 3 a 3, dão origem à pelo menos 27 tipos diferentes de colágeno, que são classificados de acordo com as características da estrutura primária das cadeias a que formam a triple hélice. Cada cadeia A apresenta uma massa molecular de aproximadamente 100.000 mol/g e para cada caso o colágeno tipo I, a cadeia A-1 contém 1056 resíduos de aa e a cadeia A-2 1038 resíduos, dando origem a uma tripla hélice (SILVA, 2005). O colágeno tipo I é constituido por três cadeias polipeptídicas do tipo a1 (I) a1 (I)’e a2 (I). Nos tecidos, é encontrado na forma de fibras com diâmetros ente 80 e 160 nm, formando a estrutura do sistema vascular, tendões, tecido ósseo e muscular (HAY, 1992). O colágeno tipo I é abundantemente encontrado no tecido cutâneo e também nos tendões, ossos e córnea. 

Colágeno
Representação esquemática da molécula de colágeno O colágeno tipo I é formado por três cadeias polipeptídicas caracterizadas pela repetição de um triplete Gly-X-Y onde o X é geralmente uma Prolina (Pro) e Y é uma Hidroxiprolina (Hip). As posições X e Y, além da Prolina ou Hidroxiprolina, podem ser ocupadas por outos aminoácidos naturais. Esta estrutura corresponde à sua unidade monomérica e recebe o nome de Tropocolágeno (SILVA, 2005). Analisando a composição química, os aminoácidos mais significativos no colágeno tipo I consistem em: 33% de Glicina, 12% Prolina e 11% Hidroxiprolina, 0,7% de de Hidroxilisina, não possui Triptofano (Trp) e os resíduos de Tirosina encontram-se exclusivamente na região dos telopeptídeos, que correspondem às regiões não helicoidais do tropocolágeno. Os aminoácidos polares correspondem a quase 40% da molécula, 11% são básicos e 9% ácidos, os demais 17% correspondem a aminoácidos hidroxilados. Aproximadamente 4% dos resíduos correspondem a amidas de Aspartato e Glutâmico (Glu). Uma característica que diferencia o colágeno de outras proteínas é a presença de alta concentração de glicina seguida de prolina e hidroxiprolina. O prolina e o hidroxiprolina se originam da hidroxilação dos resíduos de lisina e prolina após o processo de tradução (GOISSIS, 2008). Aminoácidos do colágeno tipo I e seus resíduos nas cadeias Alfa-1 e Alfa-2 Classificação Aminoácidos Cadeia Alfa-1 Cadeia Alfa-2 Estruturais Glicina 345 346 Estruturais Hidroxiprolina 114 99 Estruturais Prolina 127 108 Hidrofóbico Leucina 9 18 Hidrofóbico Isoleucina 22 33 Hidrofóbico Metionina 7 4 Hidrofóbico Fenilalanina 13 15 Hidrofóbico Tirosina 5 4 Hidrofóbico Valina 17 34 Básico Lisina 34 21 Básico Arginina 53 56 Básico Histidina 3 8 Básico Hidroxilisina 4 9 Ácido/ Amida ácido aspártico 33 24 Ácido/ Amida Asparagina 13 23 Ácido/ Amida ácido glutâmico 52 46 Ácido/ Amida Glutamina 27 24 Outros Alanina 124 111 Outros Treonina 17 20 Outros Serina 37 35 Fonte: GOISSIS, 2008 Um estudo, partindo da informação que o colágeno tipo I representa 90% do total de colágeno existente, estimou superficialmente que o número de monômeros de colágeno tipo I (tropocolágeno), no homem adulto é cerca de 1021 unidades. Sendo assim, o colágeno tipo I, é a molécula biológica com maior número de domínios funcionais existente no reino animal (GOISSIS, 2008). São encontrados na natureza mais de 27 tipos de colágenos, sendo o colágeno tipo I o mais importante. O colágeno tipo I é responsável não somente pela manutenção da integridade da maioria dos tecidos, devido suas propriedades mecânicas (GOISSIS, 2008), mas também por agir nas funcionalidades teciduais em função de sua interação com as células presentes na matriz extracelular(MEC) (HAY, 1992). Estudos têm mostrado que o colágeno tipo I apresenta uma unidade física conhecida como “período D”, a qual tem participação no controle de eventos biológicos que dependem da adesão celular sobre a matriz extracelular(MEC) para desencadear a expressão da atividade (DILULLO et al., 2002). Este “período D” é caracterizado por apresentar uma distribuição ordenada de aminoácidos que tem origem na interação particular das moléculas de tropocolágeno para a formação das estruturas fibrilares que compõem a tripla hélice (CHAPMAN et al., 1990). Estas interações são dependentes das alterações bioquímicas, assim como da ação mecânica sobre os tecidos (HYNES, 2002). Estes processos são afetados pela simples presença da seqüência de aminoácidos arginina, glicina e aspartato na estrutura primária do colágeno tipo I, ou em outra proteína da matriz extracelular(MEC) como a fibronectina. Esta seqüência de aminoácidos arginina, glicina e aspartato é um dos determinantes mais importantes para adesão celular na matriz extracelular(MEC) (HYNES,2002; BHADRIRAJ e LINDA, 2000) apesar de existirem outras (KNIGHT et al., 1998;GOISSIS, 2008). O colágeno e a elastina formam uma rede tri-dimensional constituindo a arquitetura basal da derme, na qual dispersam outras substâncias e células. Os colágenos fibrilares são responsáveis pelas propriedades mecânicas e pela integridade estrutural dos tecidos. A elastina é caracterizada pela sua alta força química e física e especialmente por sua característica elástica (FREI et al., 1998;GARDNER et al., 1999). A função do colágeno é manter íntegra a estrutura fibrilar, ao mesmo tempo em que esconde os sítios potenciais que dão origem a eventos celulares (KEENE et al.,2000). O sítio de ligação da decorina ao colágeno conforme estudo demonstra parece ser o mesmo, onde deformações estruturais ocorrem induzidas por ações mecânicas (BARENBERG et al., 1978). A alteração da estrutura do colágeno do tipo I pela oxidação (VARANI et al.,2006) ou pela degradação proteolítica (VARANI et al., 2001) modifica sua atividade de crescimento e indução da proliferação celular. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1.Alberts, Borany, Lewis, Raff, Roberts & Watson. – MOLECULAR BIOLOGY OF THE CELL. 2.Albert Lehninger. – BIOQUEMISTRY. 3.Durk Pearsn & Sandy Shaw. – LIFE EXTENSION. 4.Eric Braverman & Carl Pfeiffer. – THE HEALING NUTRIENTS WITHIN. 5.Robert Erdmann. – THE AMINO REVOLUTION. 6.Donald LaPore. – THE ULTIMATE HEALING SYSTEM. 7.Murray, R.K. – HARPER: BIOQUÍMICA. 8.Guyton, A.C. – TRATADO DE FISIOLOGIA MÉDICA. 9.Norris, H.J. and Barns, D.B. – O PAPEL DO COLÁGENO NO DESENVOLVIMENTO MUSCULAR E NO BEM-ESTAR GERAL 10.Kapandji. A. I. – CUADERNOS DE FISIOLOGIA ARTICULAR. Barcelona. 1970. 11.Verztman.L e Paola., – Doença Difusas do Tecido Conjuntivo (colagenoses). Rio de Janeiro. 1972 12.Sokoloff.,L. – The Biology of degenerative Joint Disease University of Chicago. 1969. 13.Tarnopolsky. S., La Artritis Reumatoidea em la Práctica General. Editorial “El Ateneo” Buenos Aires. 14.Verztman. L. et al, – Doença Difusas do Tecido Conjuntivo (colagenoses). Shering S.ª 1975 15.Piña. E. et al., – Temas Bioquimicos de Actualidad.Universidade Nacional Autonoma de México.1978 16.Vaughan. J.M., – The Physiology of Bone.Oxford.1970. 17.Collagen Specialties – BioCare Inc. 1992. 18.Reed, P.B., – Nutrition, an applied science, 1980 19.Gagnon.L., – Nutrition Thërapeutique, 1994 20.O´Shea, T., – Collagen Suplementation: Na Overview, Janeiro – 1998. 21.Ross.M., et al. – Histologia texto e Atlas. 2ª ed. Editorial Médica Panamericana. 1993 22.Krause, M.V., Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 2ª Edição. Livraria Roca Ltda. 1993 23.GNC – America’s leader in vitamin herbal and nutritional supplements.htm 24.MensFitness.com Strength Training Nutrition Muscles Health Sports Adventure Magazine.htm 25.Mens Health Men’s Guide to Fitness Health Sex and Life.htm 26.Alberts, Borany, Lewis, Raff, Roberts & Watson. MOLECULAR BIOLOGY OF THE CELL. 27.Albert Lehninger. – BIOQUEMISTRY. 28.Durk Pearsn & Sandy Shaw. – LIFE EXTENSION. 29.Eric Braverman & Carl Pfeiffer. – THE HEALING NUTRIENTS WITHIN. 30.Robert Erdmann. – THE AMINO REVOLUTION. 31.Donald LaPore. – THE ULTIMATE HEALING SYSTEM. 32.Murray, R.K., – HARPER: BIOQUÍMICA. 33.Guyton, A.C., – TRATADO DE FISIOLOGIA MÉDICA. 34.Sokoloff.,L. – The Biology of degenerative Joint Disease. University of Chicago. 1969. 35.Kapandji. ,I.A. – Cuadernos de Fisiología articular. Toray- Masson,S.A., 1970. 36.Tarnopolsky. S., – La Artritis Reumatoidea em la Práctica General. Editorial “El Ateneo” Buenos Aires. 37.Verztman. L. et al, – Doença Difusas do Tecido Conjuntivo (colagenoses).Shering S.ª 1975 38.Piña. E. et al., – Temas Bioquimicos de Actualidad. Universidade Nacional Autonoma de mexico.1978 39.Vaughan. J.M., – The Physiology of Bone.Oxford.1970. 40.Collagen Specialties – BioCare Inc. 1992. 41.Gagnon.L., – Nutrition Thërapeutique, 1994 42.Tortora G., – Principe d’antomie et physiologie, 1988. 43.O´Shea, T., – Collagen Suplementation: Na Overview, Janeiro – 1998. 44.Norman, W. A., – HORMONES. Academic Press. 2ª Ed. 1997. 45.Ross.M., et al. – Histologia texto e Atlas. 2ª ed. Editorial Médica Panamericana. 1993 46.Krause, M.V., – Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 2ª Edição. Livraria Roca Ltda. 1993 Fonte: www.colagenohidrolisado.com.br Colágeno O que é O colagénio é um tipo de proteína. Fibroso na natureza, ele se conecta e suporta outros tecidos do corpo, como a pele, ossos, tendões, músculos e cartilagens. Ele também suporta os órgãos internos e é ainda presente em dentes. Existem mais de 25 tipos de colagénios que ocorrem naturalmente no corpo. O colagénio é uma das proteínas mais abundantes presentes no corpo dos mamíferos, incluindo os seres humanos. De fato, torna-se cerca de 25 por cento da quantidade total de proteínas no corpo. Algumas pessoas se referem ao colágeno como a cola que mantém o corpo unido. Sem ele, o corpo seria, literalmente, desmoronar. Possuindo grande resistência à tração, as funções de colagénio de uma maneira que é muito diferente de muitos outros tipos de proteínas. Por exemplo, ele pode ser encontrado tanto no interior e exterior das células. As fibras de colágeno são importantes na contribuição para a estrutura externa das células. No entanto, elas estão presentes no interior de algumas células bem. Colágeno mão-na-mão trabalha com elastina em apoiar os tecidos do corpo. Basicamente, ele dá os tecidos do corpo se formam e proporciona firmeza e força; elastina dá os mesmos tecidos do corpo tão necessária flexibilidade. Esta combinação de colagénio e elastina é muito importante em muitas partes do corpo, incluindo, mas não limitado a, os pulmões, ossos e tendões. Até mesmo os vasos sanguíneos dependem de colágeno e elastina. Muitas vezes, o colagénio é discutida em relação à pele. Ele funciona com queratina para fornecer a pele com força, flexibilidade e resiliência. Como as pessoas envelhecem, no entanto, ocorre a degradação do colagénio, levando a rugas. Como tal, é uma substância importante para aqueles que procuram maneiras de combater os efeitos visíveis do envelhecimento na pele. Alguns profissionais de skincare realmente aconselhar as pessoas sobre formas de estimular a produção de colágeno em células da pele. Além de ser tão importante no corpo, colagénio também tem muitos usos médicos. É usado em alguns procedimentos de cirurgia plástica e é vendido como um suplemento criado para a mobilidade das articulações. Ele ainda é usado no tratamento e gestão de queimaduras graves. Para este propósito, é utilizado na criação de substitutos de pele artificiais. Desde colágenos são tão importantes dentro do corpo, é lógico que as deficiências de colágeno pode ser problemático. Na realidade, há algumas doenças genéticas que estão associadas com deficiências de colagénio. Por exemplo, osteogênese imperfeita, vulgarmente designado como doença dos ossos quebradiços, resulta de uma diminuição significativa do nível de colágeno. Ele também pode resultar da presença de colagénio que é de menor qualidade do que o normal. Quais são os benefícios de colágeno e elastina? Colágeno e elastina são proteínas estruturais que ocorrem naturalmente normalmente produzidos nas derme , a camada intermediária da pele. Estas proteínas são acreditados para ser crucial para manter a pele lisa, macia e elástica. Embora o corpo produz naturalmente dessas proteínas, a sua produção normalmente diminui com a idade. Alguns produtos de cuidados da pele e alimentos podem ajudar a manter a produção elevada de colágeno e elastina na pele. Os níveis saudáveis são pensadas para reduzir os sinais de envelhecimento, particularmente rugas e flacidez da pele. Os benefícios de cuidados da pele de colágeno e elastina são acreditados para ser muitos. Estas proteínas são ditas para suavizar linhas finas e rugas e adicionar, restaurar ou manter a elasticidade da pele. Os produtos que os contenham são normalmente utilizados para reduzir os sinais de envelhecimento. As proteínas estruturais naturais são normalmente produzidas por células da pele dérmicos conhecidas como fibroblastos. O colágeno é responsável por manter a pele gorda. Elastina é considerado um elemento essencial do tecido fibroso que mantém a pele flexível e elástica. Os jovens geralmente têm altos níveis dessas proteínas em sua pele, mas a produção dentro do corpo diminui com a idade, levando a linhas finas, rugas e flacidez. Uma combinação de fatores, incluindo a exposição coletiva sol, dieta e uso do tabaco, pode acelerar o declínio da produção de colágeno natural. Cremes de cuidados da pele tópicas contendo colágeno e elastina são amplamente disponíveis a partir de muitos fabricantes. Dermatologistas acreditam que esses produtos, embora muitas vezes muito hidratante, não, na verdade, aumentar o colágeno ou elastina níveis na pele. Alguns produtos, no entanto, são projetados para estimular sua produção no organismo. Isso é muitas vezes acredita-se ser a melhor maneira para as pessoas mais velhas para colher os benefícios dessas proteínas. Vários alimentos são considerados capazes de ajudar a pele a manter o colágeno jovem e os níveis de elastina. vitamina A , normalmente encontrada em alimentos como cenouras e melões, pode ajudar a pele a produzir altos níveis de colágeno. O zinco, tipicamente encontrado em carnes, produtos lácteos, e frutos do mar, é acreditado crucial para a manutenção das fibras de elastina. A substância conhecida como a genisteína, em grande parte encontrada na soja, é acreditado para aumentar a produção de colágeno, enquanto neutralizar a ação das enzimas frequentemente implicados no processo de envelhecimento. Alimentos ricos em vitamina C e outros antioxidantes , como chá verde, também pode ajudar a proteger contra o envelhecimento da mesma maneira. Fonte: www.wisegeek.org Colágeno O que é O Colágeno é a proteína principal do tecido conjuntivo nos animais e a proteína mais abundante em mamíferos. É uma das proteínas estruturais fibrosas compridas, cujas funções são bastante diferentes dos das proteínas globulares, tais como enzimas. Juntamente com queratina macio, que é responsável pela resistência e elasticidade da pele, e a sua degradação leva a rugas que acompanham o envelhecimento. Jovem ou velho? A diferença é de colágeno Funções do Colágeno Existem mais de 28 tipos diferentes de colagénio. As fibras de colágeno dar força e estrutura para muitas partes diferentes do corpo. É um dos principais componentes da matriz extracelular, a qual é a característica definidora de tecidos conjuntivos em seres humanos e outros mamíferos. O colagénio é necessária para a conservação da juventude de pele e atenuação de rugas, é também essencial para a elasticidade do tecido conjuntivo da pele, permitindo que ele se expanda e contraia, sem danificar qualquer tecido. Colágeno e velhice Quando ficamos mais velhos, a produção de colágeno começa a diminuir o ritmo e as estruturas celulares começam a perder sua força. Como resultado, a pele começa a se tornar frágil, menos elástica e rugas definir pol Além disso, o cabelo começa a perder a sua cor, as articulações perdem sua flexibilidade e qualidade óssea começa a se deteriorar. À medida que envelhecemos a produção de colágeno começa a abrandar e rugas começam a se desenvolver Colágeno – é realmente tão importante? O colágeno é uma proteína componente natural da pele que funciona como um andaime eo principal bloco de construção para as células, tecidos e órgãos. Cerca de um terço do teor de proteínas no seu corpo é composta por colagénio, o que é encontrado nos ossos, músculos e tecidos dos órgãos. O colagénio, elastina e queratina dar à pele a sua resistência, elasticidade e estrutura. O corpo produz naturalmente o colágeno, que ele precisa, mas esta produção é interrompido gradualmente, como parte do processo natural de envelhecimento. As mulheres produzem menos colágeno do que os homens, e isso colágeno é perdida a uma taxa de cerca de 1% ao ano. Isto significa que uma mulher tem, naturalmente, perdeu quase metade do colágeno de sua pele com a idade de 50 anos. Colágeno também é muito afetada por estresses ambientais, como a exposição ao sol, alimentação, danos à pele, e exposição a toxinas, tais como poluentes, fumaça de cigarro e drogas recreativas. Com a diminuição do colágeno, a pele perde sua elasticidade natural e firmeza, e linhas finas, rugas e flacidez aparecem. Quais são os alimentos ricos em colágeno? Com o passar dos anos, o nosso organismo passa a produzir em menor quantidade o colágeno, substância que garante a elasticidade e firmeza da pele, sendo que é mais precisamente a partir dos 25 anos que começa ocorrer à redução de tal substância. Aos 50 anos, o organismo produz apenas 35% do colágeno necessário, já para com as mulheres devido à amenização do hormônio estrogênio durante a menopausa, a queda de colágeno é maior ainda. Esta diminuição de concentração de colágeno no organismo pode ser atenuada através da ingestão de alimentos ricos em colágeno, sendo que para o colágeno ser sintetizado pelo organismo é necessário ingerir alimentos que contenham vitamina E e C, zinco, cobre, selênio e silício. O silício é uma substância que está presente no nosso organismo, como no cabelo, nas unhas, nas cartilagens, na pele, enfim, desde a fase fetal e, assim também sofre com sua redução após os 30. Este é oligoelemento presente no organismo com a função de regenerar as células da pele e de estimular a produção de fibras de sustentação, elastina e colágeno. Sendo assim, existem formas de deixar a pele sempre bonita e com aspecto jovem apenas com uma alimentação equilibrada e rica em colágeno, e lógico, para uma maior eficácia, não dispensar o uso de cosméticos específicos. Quais são os alimentos firmadores da pele? Veja-os logo abaixo: Proteínas magras: Iogurte desnatado, atum, ovo, salmão, peito de peru ou de frango, queijo cottage e outros Vitaminas A e E: Cenoura Vitaminas C: Acerola, kiwi, caju, cenoura, laranja, goiaba, pepino e outros Silício: Tâmara, pinhão, pepino, nabo, morango, mel, aspargos, cebola, alho porro, alcachofras, banana, trigo, avelã, feijão, salsa, nabo, aveia, cevada e outros. Selênio: Arroz preto, salmão, avelã, frango e outros Zinco: Castanha-do-Pará, frutos do mar, ovos e avelã. Cobre: Caju, fígado bovino, cogumelos, aveia, lentilha e outros. No entanto, não é praticamente válido fazer a ingestão destes alimentos e ter hábitos de beleza estando em contato com algumas drogas que podem acabar com todo o efeito conquistado, como álcool, fumo e ingestão de gordura insaturada. Algo válido a ressaltar é que muitas pessoas acreditam que a gelatina é um alimento que firma a pele, isto é, a gelatina conta com colágeno, mas em pouca quantidade e ingerindo este alimento em grande quantidade, pode-se ganhar peso e ultrapassar os limites de açúcar. Lembre-se de que a gelatina, a sobremesa, possui apenas 10% de proteína e, por isso, não deve ser considerada como forma de deixar o corpo mais durinho. Quanto aos cosméticos, saiba que existe uma grande diversidade de marcas e de produtos no mercado, e para garantir um resultado ainda mais satisfatório, dê uma olhada na lista logo abaixo de colágeno hidrolisado que se encontra à venda no mercado: BioSlim Colágeno – Do Laboratório Herbarium Gelamin – Da Advanced Products Colagentek – Da Vitafor Collaghem – Do Laboratório Tiaraju Sanafit Colágeno – Da Sanavita Colagemix – Da Orient Mix Gelape – Da Nutricêutica Collagen – Da Performance Nutrition Formas eficientes de consumir colágeno Proteína que faz parte da formação de unhas, cabelos e tecidos, o colágeno é importante para manter a elasticidade e a firmeza da pele, além de evitar que ligamentos e tendões enfraqueçam. Segundo a nutricionista Andrea Squivel, o ideal é consumir alimentos que estimulem a produção de colágeno, como frutas, legumes, cereais integrais e carnes. “O colágeno industrializado pode cair inteiro no intestino e causar alergia, pois não é absorvido dessa forma”, afirma ela. Para Andrea, a eficácia do colágeno industrializado é bastante duvidosa. “As cápsulas de colágeno, por exemplo, são digeridas pelo organismo e trabalhadas como um aminoácido qualquer, o que não garante o resultado desejado”, explica a nutricionista. “Enquanto uma cápsula de colágeno tem cerca de 2g de proteína, 100 gramas de carne, que equivalem a um bife pequeno, têm 22g. E o índice de absorção dos aminoácidos presentes na carne é de 100%”, acrescenta ela. A nutricionista cita outros alimentos que possibilitam a ingestão de colágeno. “O músculo cozido libera uma boa quantidade de colágeno. Basta retirar a camada de gordura que fica por cima e aproveitar o caldo em sopas, para cozinhar arroz ou preparar feijão”, ensina Andrea. Cozinhar peixe e frango com as respectivas peles também resulta em um caldo rico nessa proteína, depois que a gordura é removida. “Pés de vaca, porco ou cabra, quando fervidos, também liberam muito colágeno”, diz ela. “Já a gelatina, embora retirada da aponervose, que deixa a carne rica em colágeno, não tem comprovação científica de que seja fonte uma eficiente dessa proteína”, complementa a nutricionista. Fonte: geocities.com/www.medicalnewstoday.com Colágeno Benefícios do Colágeno A proteína conhecida como colágeno possui diversas funções que poderão dar sustentação a pele e formar fibras que podem contribuir para a formação dos músculos. O colágeno é extraído do osso e da cartilagem dos bovinos. O colágeno é extraído através de um processo de hidrólise, ajudando a quebra de proteína, facilitando a absorção do organismo, o colágeo poderá contribuir para a regeneração dos ossos e articulações. Entre os principais benefícios do colágeno podemos citar: retartamento do envelhecimento e prevenção das rugas, combate a flacidez da pele, ajuda na manutenção dos osssos, combate a celulite e as estrias, entre outros. O colágeno é facilmente encontrado em lojas de produtos naturais, orgânicos ou farmácias, o ideal é utilizar cerca de 10g de colágeno por dia, para que assim seu corpo absorva essa proteína, tente diluir o colágeno hidrolisado em um suco ou outro líquido e tome de 30 a 60 minutos antes de sua refeição, apenas uma vez por dia. Colágeno Hidrolisado O colágeno é um tipo de proteína. Uma de suas principais funções é formar fibras que dão sustentação à pele (para quem se exercita, contribui também na formação dos músculos). Extraído do osso e da cartilagem do boi, o colágeno passa pelo processo de hidrólise (quebra das moléculas de proteína) para ser mais facilmente absorvido pelo organismo. Funções do Colágeno Hidrolisado O colágeno hidrolisado (um tipo especial de gelatina) contém os aminoácidos essenciais glicina e prolina em concentração 20 vezes maior do que outras proteínas. Ambos são componentes importantes do tecido conjuntivo e asseguram sua consistência e elasticidade. Ele também tem efeito regenerativo em ossos e articulações. Benefícios do Colágeno Hidrolisado Retarda o envelhecimento e previne rugas Combate a flacidez da pele Fortalece unhas e cabelo Contribui para saúde dos ossos Combate celulite e estrias Auxilia no funcionamento do sistema linfático Indicação do Colágeno Hidrolisado É indicado para pessoas acima de 30 anos. Como suplemento nutricional é indicado para pessoas fisicamente ativas que desejam aumentar o consumo de proteínas, assim como para o fortalecimento de unhas e cabelos. Também é indicado em processos de cicatrização e recuperação de lesões e em processos de emagrecimento. Fonte: intrometendo.com Colágeno Proteína: grego Kolla – que significa gerador de cola, de conectividade. Nos últimos anos houve grande aumento do interesse sobre o colágeno como a mais importante e fundamental proteína para o crescimento e regeneração correta do corpo. O colágeno ocupa uma posição impar na arquitetura molecular dos animais superiores, o que lhe permite ser um agente controlador de distribuição e aplicação interna e externa de forças no organismo. Estrutura do Colágeno Existem mais de 20 tipos de colágeno no organismo. O colágeno é a proteína mais abundante do nosso corpo, formadora das fibras colágenas. Essas fibras se encontram em todas as células de origem animal, não existem nos vegetais, e são responsáveis em mais de 30% pelo processo de cicatrização e regeneração nos casos de cortes/intervenções cirúrgicas. O colágeno é a proteína formadora das fibras colágenas. É encontrado em todas as células de origem animal, é produzido através do entrelaçamento de cadeias peptidicas de aminoácidos. O colágeno, também conhecido como tecido conectivo, promove elasticidade e resistência à pele, aos músculos, tendões, meniscos, ligamentos, veias, vasos e artérias, transmissão de luz na córnea, distribuição de fluídos em vasos sangüíneos e linfáticos, além do próprio osso, etc. Nos tecidos duros como os ossos, o colágeno funciona como um suporte para a deposição mineral. Nos tecidos moles como a pele, o colágeno forma uma matriz onde se alojam várias substâncias e células. Ele é essencial para a manutenção da forma e da integridade do tecido. No tecido cardiovascular o colágeno forma uma rede através das artérias dando a elas um maior poder de expansão e protegendo de possíveis lesões por excesso de expansão.

Outra função importante do colágeno é a sua atuação na agregação, aderência e ativação das plaquetas. Tem ação na primeira etapa da formação do coágulo. Age ainda como fator do mecanismo intrínseco para o sangue coagular. Existem mais de vinte tipos de colágeno. A seguir veremos alguns: Colágeno Tipo 1: é o mais comum; aparece nos tendões, na cartilagem fibrosa, no tecido conjuntivo frouxo comum, no tecido conjuntivo denso (onde é predominante sobre os outros tipos), sempre formando fibras e feixes, ou seja, ossos, tendões, pele. Colágeno Tipo 2: produzido por condrócitos, aparece na cartilagem hialina e na cartilagem elástica. Não produz feixes. Presente nos discos intervertebrais, olhos e cartilagem. Colágeno Tipo 3: constitui as fibras reticulares. Presente na pele, aorta, pulmões. Colágeno Tipo 4: aparece na lâmina basal, um dos componentes da membrana basal dos epitélios. Presente nas lentes da cápsula ocular, glomérulos.(22) Colágeno Tipo 5: presente nos ossos, tendões e sangue. Colágeno Tipo 6: presente no sangue, camada íntima da placenta. Colágeno Tipo 7: presente nas membranas corioaminióticas. Colágeno Tipo 8: endotélio Colágeno Tipo 9: cartilagem, córnea retina. Colágeno Tipo 10, 11 e 12: cartilagem. Na estrutura do colágeno se entrelaçam mais de 10 mil triplas de longos polipeptídios de moléculas de colágeno para dar lugar a estas várias combinações que até hoje se conhecem, que formam parte de: glândulas, órgãos internos, vasos sanguíneos e linfáticos, paredes celulares, ossos, pele, ligamentos, tendões, córnea, humor vítreo, cristalino ocular, cartilagens, meniscos, discos intervertebrais e plasma sangüíneo. Os aminoácidos que compõem o colágeno em maior quantidade são: hidroxiprolina, ácido aspártico, treonina, serina, ácido glutâmico, prolina, glicina, alanina, valina, metionina, isoleucina, leucina, tirosina, fenilalanina, hidroxilisina, lisina, histidina, arginina. Pesquisas mostram que por volta dos 25 anos nosso organismo começa a diminuir a produção de colágeno em contraposição à necessidade constante dessa importante molécula no processo de rejuvenescimento e reparação celular. Aos 50 anos nosso corpo só produz em média 1/3 do colágeno que necessitamos. Supõe-se que esta seja uma das principais causas do nosso envelhecimento. Com a diminuição do colágeno os músculos ficam flácidos, diminui a densidade dos ossos, as articulações e ligamentos perdem a elasticidade e a força, a cartilagem que envolve as articulações fica frágil e porosa, com aspecto de almofada. Os cabelos perdem o viço, pois diminui a espessura do fio capilar. Alguns órgãos podem sofrer deslocamento e apresentar mal funcionamento. A pele fica mais fraca, desidratada e sem elasticidade, culminando em flacidez e no aparecimento de estrias; o ganho de reserva lipídica é mais acentuado. “Segundo a universidade de Viena, a falta de colágeno no corpo causa endurecimento da bexiga, problemas na próstata e diminuição da fixação de cálcio. As fibras de colágeno são responsáveis pela firmeza e integridade das estruturas celulares, pela transmissão de força aos ligamentos, transmissão de luz pela córnea, distribuição de fluidos nos vasos sanguíneos e vasos linfáticos.” KOLLAGEN “Aminoácidos Naturais do Colágeno – Proteína de Alto Valor Biológico.” Um organismo saudável necessita de colágeno para a manutenção do tônus muscular e uma pele firme, com uma reposição diária de aproximadamente 1g por quilo de peso corporal. Devido ao processo natural de diminuição do colágeno, que não atende à demanda do corpo, se faz necessário uma suplementação protéica. Com base nisso, podemos dizer que a administração do colágeno via oral é ideal para solucionar o problema do déficit provocado no organismo no decorrer dos anos de vida. Um complemento alimentar de apresentação natural e biológica, como o precursor de colágeno KOLLAGEN – colágeno hidrolisado/liofilizado, pode ter – e de fato tem – efeito positivo sobre a bioquímica do organismo, melhorando os níveis de energia e toda ação orgânica. COMPOSIÇÃO DE AMINOÁCIDO DO COLÁGENO E DO KOLLAGEN AMINOÁCIDOS BOI (PELE) PEIXE (PELE) HOMEM (PELE) KOLLAGEN Alanina 105 106 114.5 37.7 Glicina 334 338 324.4 21.4 Valina (BCAA) 19 25 24.5 30.3 Leucina (BCAA) 25 25 24.8 2.3 Isoleucina (BCAA) 11 15 10.4 3.7 Prolina 129 106 125.1 12.3 Fenilalanina 13 13 12.6 1.9 Tirosina 4.7 3.3 3.5 1.0 Serina 38 61 36.9 3.55 Treonina 17 23 18.3 3.1 Cistina Traços 0 Traços 0 Metionina 6.6 18 7.0 2.5 Argenina 48 51 49.0 9.5 Histidina 4.6 13 5.4 1.5 Lisina 25 27 26.6 3.4 Ácido aspártico 48 43 47.2 5 Ácido glutâmico 72 68 77.7 10.9 Hidroxiprolina 92 60 90.9 9.0 Hidroxilisina 6.8 5.5 5.9 0.8 Fonte: Treatise on Collagen – N C Laboratory. INGREDIENTES DO KOLLAGEN Aminoácidos naturais do colágeno. Preservação natural. KOLLAGEN – Definição O KOLLAGEN é um precursor de colágeno especialmente formulado, usando um processo científico único e específico, que consiste em hidrolisar o colágeno e seqüencialmente implementar o processo de liofilização, ocorrendo assim a preservação natural do produto e uma assimilação de mais de 90% (pré-digerido e absorvido), além de ser totalmente sem cheiro ou sabor. O Kollagen é um suplemento alimentar totalmente eficaz e de utilização muito prática. Um entendimento bem simples do KOLLAGEN seria esta definição: é a matéria prima para que nosso organismo forme as várias combinações e tipos distintos de colágeno, sendo que, cada qual cumpra/exerça suas funções variadas. LIOFILIZAÇÃO – Desidratação especial de substâncias suscetíveis de serem alteradas pela ação do tempo, que permite a conservação de alimentos e suplementos, sem uso de conservantes, preservantes ou aditivos químicos – técnica científica que desidrata o colágeno hidrolisado, eliminando o cheiro, gosto/sabor, mantendo todas as características científicas do processo da hidrólise, principalmente a estrutura. O KOLLAGEN é um alimento formulado para dar suporte ao corpo e manter um feed-back positivo. Por ser hidrolisado e posteriormente liofilizado, é facilmente absorvido e supre o corpo com nutrientes importantes como veremos a seguir, ajudando o organismo na manutenção da produção adequada de colágeno. O Kollagen faz com que o corpo mantenha uma quantidade de massa muscular adequada, ajudando o organismo a utilizar eficientemente suas reservas lipídicas e de açúcar. Usado conforme as recomendações, e ingerindo-se em complemento 2 litros de água por dia, este produto pode resultar em significativa perda de massa gordurosa, aumento da musculatura corporal, melhora do sono, melhora dos sintomas dolorosos das afecções ósteo-musculares, fortalecimento de articulações, diminuição do tempo de recuperação após exercícios físicos e melhora geral e bem-estar, conforme estudos clínicos. A absorção e ação do Kollagen ocorre nos primeiros momentos da ingestão, pois o produto é facilmente absorvido, por ser pré-digerido e pré-absorvido, caindo diretamente na corrente sangüínea assim que ingerido, beneficiando todo o organismo, funcionando ainda como reserva orgânica no processo de regeneração e revitalização, interagindo também na primeira fase do sono. No primeiro estágio do sono ocorre a regeneração mais profunda, gastando-se naturalmente uma quantidade significativa de energia. O KOLLAGEN ajuda o organismo a trabalhar melhor neste momento, ocorrendo um maior consumo de gorduras, convertidas em energia, resultando em menos gordura corporal e melhor tonicidade muscular. O KOLLAGEN, quando tomado conforme indicado, tem absorção superior a 90%. A absorção se dá por transporte ativo secundário. O aproveitamento do KOLLAGEN é superior ao dos produtos protéicos e/ou colágenos existentes no mercado, mais um fator exclusivo, incluindo a forma simples de utilização – opções: I Diluir duas colheres de sopa do KOLLAGEN em 200ml a 250ml do suco de sua preferência ou água, e tomar 30 a 60 minutos antes do jantar.II Diluir duas colheres de sopa do KOLLAGEN em 200ml a 250ml de água, acrescentar uma fruta (abacaxi, tangerina, kiwi, maçã, pêra, banana) e bater no liquidificador, como um shake. Tomar substituindo o jantar. Utilizado desta forma, o KOLLAGEN ajudará na saciedade alimentar e haverá um melhor controle sobre o peso, pois ele poderá substituir o jantar, ou ainda, ajudará a comer apenas o necessário, além de cooperar na melhor utilização da reserva lipídica. III Os atletas que buscam um suporte protéico de alto valor biológico e um complemento alimentar que estimule a massa muscular saudável, encontrarão no KOLLAGEN o suporte necessário, devendo utilizar 10 a 15 minutos antes da atividade física, diluído em shake ou suco e também na hora de deitar para dormir. As proteínas de alto valor biológico ajudam a evitar o catabolismo protéico e a recompor as rupturas do tecido muscular que acontecem durante a atividade física, constituindo uma massa muscular mais expressiva e saudável, não apenas aparente. O tempo de recuperação pós-atividade física será muito menor. Vigor e energia são outros benefícios que os atletas sentirão. IV Se você achar mais prático, poderá utilizar o KOLLAGEN também desta maneira: Diluir duas colheres de sopa do KOLLAGEN 1 a 2 horas após o jantar, em 200 a 250ml do suco de sua preferência, ou água. Poderá ser ingerido também na hora de deitar para dormir – neste caso observar o intervalo mínimo de 1 hora após a última refeição. V Aqueles que buscam emagrecer ou o controle do peso – ação de saciedade – podem usá-lo na forma de shake, batendo no liquidificador com frutas ou leite de soja, substituindo o jantar. (*) Todo organismo tem um percentual em torno de 65% de líquidos, para obter o máximo de benefícios e manter uma saúde adequada, necessitamos ingerir 2 litros de água por dia, principalmente para melhor aproveitar os benefícios dos suplementos alimentares e alimentos. “ TODO HOMEM DESEJA VIVER MUITO TEMPO, MAS NENHUM HOMEM GOSTARIA DE FICAR VELHO ! ” J. Swift Por ser pré-digerido/absorvido, o KOLLAGEN não sofre o ataque das enzimas gástricas, passando rapidamente para a corrente sangüínea. KOLLAGEN é um produto feito à base de proteínas pré-digeridas/absorvidas. Ele auxilia o corpo no processo de regeneração dos vários órgãos, proporcionando bem-estar geral. Um dos grandes diferenciais do KOLLAGEN, em relação a outros produtos colágenos existentes no mercado é: diminuta molécula protéica, ter tamanho e aporte significativamente pequeno (3.000 daltons), facilmente assimilada e aproveitada organicamente, enquanto os demais produtos são moléculas relativamente grandes. É constituído basicamente em aminoácidos naturais do colágeno, dentre eles a glicina, hidroxiprolina e arginina. Os aminoácidos arginina, glicina, ornitina e valina ajudam na melhor performance da hipófIse, cooperando na liberação de hormônio de crescimento – hGH e atuam também no processo de formação de massa muscular. “DE ACORDO COM O TRATADO DE FISIOLOGIA MÉDICA DE A.C. GUYTON DE 1992 E ROBBINS PATOLOGIA ESTRUTURAL E FUNCIONAL DE ROBBINS ET. AL. O HGH (HORMÔNIO DO CRESCIMENTO) É REALMENTE PRODUZIDO NA HIPÓFISE.” Os níveis de hormônio de crescimento atingem seu ponto máximo durante o sono, período de ação intensa do KOLLAGEN e de maior produtividade do nosso corpo. Nossa mente descansa enquanto o corpo continua trabalhando. Neste momento o KOLLAGEN estará interagindo organicamente na formação dos mais de 20 tipos de colágeno. Proteína colágena, aminoácidos (destacando-se a glutamina) elementos constituintes de tecidos musculares são essenciais para a restauração muscular. Quando se toma KOLLAGEN, não ocorre o processo catabólico, ou ele é limitado, pois este produto é rico em aminoácidos e em elementos colágenos essenciais para o desenvolvimento de músculos e manutenção das cartilagens. A produção de colágeno junto com a melhor performance da hipófise (liberação do hGH), estimula a quebra das gorduras dos depósitos corporais assim como ajuda no aumento da massa muscular, pois melhora o metabolismo das proteínas. O processo de reparação celular também é ativado, o que faz com que o corpo gaste mais energia. A maioria das dietas que visam perda de peso, as imposições que são feitas privam o corpo de calorias e de alguns grupos de alimento (como carboidratos), o que pode nos levar a uma redução de peso, mas com perda de tecidos musculares, em média 30%, prejudicando o processo de absorção alimentar. A ação diferenciada do KOLLAGEN, age na reconstrução dos tecidos musculares, auxilia na redução do excesso de gorduras e, conseqüentemente, de peso. As pessoas perdem centímetros de medida corpórea, muitas vezes sem perceber grande variação na balança. Há inclusive casos em que pessoas ganham peso, apesar da redução de manequim (a densidade da fibra muscular é maior que a das células adiposas). KOLLAGEN age positivamente nos diferentes tipos de organismo. Por motivos variados, como problemas de tireóide (neste caso para obter resultado poderá ser usado em conjunto com o Oligo Control – Pure Essence), distúrbios glandulares e outros casos raros, um pequeno percentual da população, estimada em 10% a 18% não experimenta redução de peso, mas segue obtendo outros benefícios importantes. A eficiência do KOLLAGEN pode diminuir os sintomas dolorosos de problemas ósteo-musculares. Estudos que utilizam o colágeno também mostraram que ele é eficiente na diminuição dos sintomas de doenças como artrite óssea e atrite reumatóide A atuação do colágeno no metabolismo ósseo é extremamente discutida na literatura médica, pois a maioria das disfunções e patologias desse tecido reside em problemas no metabolismo do colágeno. VALOR CALÓRICO DO KOLLAGEN Nutrientes Gramas Kcal Proteínas 3 12 Carboidratos 0 – Lipídios 0 – Total 3 12 Fonte: N C Laboratory ATIVIDADES FÍSICAS E HIPERTROFIA O estilo de vida pode determinar o estado físico, mas a partir dos 25/30 anos, nós passamos a perder 10 a 15% da capacidade muscular a cada década. Para evitar essa perda ou ainda aumentar a que já possuímos, contamos com a atividade física e um outro aliado muito especial, o Kollagen. Um corpo bonito, bem torneado, com músculos bem definidos e potentes é fruto de uma combinação básica de alimentos e exercícios. O colágeno é o principal veículo de constituição da musculatura saudável, cooperando para que o organismo alcance os resultados desejados com musculação, práticas de esportes em geral e exercícios localizados, em menor tempo, com menos esforço e ajudando no processo de preservação das articulações, dos discos intervertebrais, dos meniscos, que são forçados excessivamente devido às repetições dos exercícios, diminuindo sensivelmente a incidência de LER (Lesões por Esforço Repetitivo), inclusive em relação à musculatura. Auxilia no funcionamento do sistema linfático, pois ajuda a regenerar as válvulas, que procedem ao fluxo da linfa, o que leva a uma melhora sensível das celulites. Ajuda a evitar também o aparecimento de estrias devido ao estiramento da pele, baixa ou desestabilização do colágeno, pois aumenta a elasticidade da pele que apresentará uma maior tonicidade, através do estímulo da regeneração colágena e da renovação celular, principalmente em relação aos fibroblastos. Quando a composição muscular orgânica é estimulada através de suplementação com precursores de colágeno, ocorre processo contrário ao catabolismo, ou seja, temos uma ação anticatabolismo, pois sendo o suplemento rico em aminoácidos e nos próprios elementos colágenos essenciais, aumenta-se o ganho de massa muscular, principalmente em atividades de hipertrofia. As fibras do organismo, tanto as extracelulares como as intracelulares, incluem primordialmente o colágeno, elastina e reticulina. O colágeno e a elastina são os elementos principais e mais abundantes no tecido conjuntivo, sendo ainda o colágeno o mais complexo e o mais abundante na formação estrutural do músculo e na manutenção da hidratação. Uma combinação muito expressiva para musculadores, para as pessoas que buscam a hipertrofia é a associação do colágeno com a glutamina (o aminoácido livre, em maior quantidade na musculatura saudável), combinação que pode proporcionar resultados únicos. O colágeno é a suplementação protéica de alto valor biológico mais completa e adequada para os atletas e praticantes de atividades físicas. A alimentação é primordial, principalmente para manter o peso magro e evitar o ganho de gorduras, especialmente as localizadas, para reestruturar nosso corpo e diminuir/eliminar estas gorduras é que podemos contar com o Kollagen, um produto seguro e com mais de 14 anos de mercado. O Kollagen é um precursor de colágeno e estimula a liberação do hormônio do crescimento. A atuação desse hormônio é importante no corpo. Possui valor nutricional incalculável, sendo uma proteína de alto valor biológico: os aminoácidos essenciais, não essenciais e de cadeia ramificada (participantes do processo de fornecimento de energia). Estas substâncias são imprescindíveis para manter o corpo saudável, bem nutrido e pronto para o dia a dia, gerando bem estar geral, cooperando no rejuvenescimento, vigor e energia. O precursor de colágeno KOLLAGEN coopera com o organismo com propriedades ímpares: PROTEGE AS ARTICULAÇÕES DURANTE AS ATIVIDADES NATURAIS E FÍSICAS RECONSTRUÇÃO DOS TECIDOS FORMA MASSA MUSCULAR MAGRA EVITA A PERDA DE MASSA MUSCULAR FORNECE AMINOÁCIDOS PARA AS VIAS METABÓLICAS AUMENTA A REGENERAÇÃO CELULAR COMO UM TODO, PERMITINDO O REJUVENESCIMENTO DO CORPO AUMENTA A FORÇA DAS ARTICULAÇÕES, MENISCOS E TENDÕES, DISCOS INTERVERTEBRAIS. ATENUA SINTOMAS E PROCESSOS COMO TENDINITES E LER AUMENTA O NÍVEL DE ENERGIA E DISPOSIÇÃO MANUTENÇÃO DA ELASTICIDADE, FIRMEZA DA PELE E TÔNUS MUSCULAR, ATENUANDO O PROBLEMA DE CELULITES E ESTRIAS NO COMBATE À FLACIDEZ E AUXILIAR NOS PROCESSOS DE MAGRECIMENTO MELHORIA/QUALIDADE DO SONO DIMINUI O TEMPO DE RECUPERAÇÃO ENTRE OS EXERCÍCIOS ESTIMULA A SECREÇÃO DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (HGH) – REJUVENESCIMENTO E MUITOS OUTROS … NOME: KOLLAGEN – Registro MS 1.04.224-9 Composição: Aminoácidos Naturais do Colágeno.

http://www.portalsaofrancisco.com.br/biologia/colageno

Postagens mais visitadas deste blog

LUTEÍNA COMBATE MANCHAS E FOTOENVELHECIMENTO DA PELE

A luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - proporciona um efeito fotoprotetor contra a radiação solar e artificial, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da peleFoto: Shutterstock
Luteína combate manchas e fotoenvelhecimento da pele
Estudos já comprovaram que a luz emitida por computadores, televisores e lâmpadas fluorescentes pode causar manchas na pele, assim como os raios ultravioleta (UVA e UVB). Mas, o que pouca gente sabe é que a luteína - antioxidante natural que reduz os efeitos dos radicais livres - pode proporcionar um efeito fotoprotetor contra todas essas radiações, além de aumentar significativamente a hidratação e a elasticidade da pele. Os benefícios desse ativo para a cútis começaram a ser valorizados há cerca de cinco anos quando a revista científica americana Skin Pharmacology and Physiology divulgou um estudo que apontou a luteína como uma poderosa arma antioxidante contra o fotoenvelhecimento cutâneo, causad…

UC-II - COLÁGENO NÃO DESNATURADO,O QUE É ? - FANTÁSTICO SUPLEMENTO DERIVADO DA CARTILAGEM DO FRANGO

UC-II COLAGENO NÃO DESNATURADO DUAS VEZES MAIS ATIVO DO QUE CONDROITINA + GLUCOSAMINA A cartilagem é um dos tecidos conjuntivos primários do corpo, proporcionando flexibilidade e suporte para as articulações ósseas. O colageno tipo II não desnaturado, é a principal proteína estrutural na cartilagem que é responsável pela sua resistência à tração e firmeza. Derivado de cartilagem de frango, UC-II® consiste em colágeno tipo II não desnaturado que age juntamente com o sistema imunológico para manter as articulações saudáveis e promover a mobilidade e flexibilidade das articulações. UC-II® tem sua composição patenteada, e demonstrou a sua eficácia em estudos clínicos em humanos. Descrição O colágeno é uma proteína fibrosa presente na pele, tendões, ossos, dentes, vasos sangüíneos, intestinos e cartilagens, correspondendo a 30% da proteína total e a 6% em peso do corpo humano. Também é encontrada em diversos tecidos de animais. UC-II® é um colágeno do tipo II, não-desnaturado, derivado da cartil…

PROCAÍNA,A SENSAÇÃO CONTRA VELHICE

Um novo tratamento contra o envelhecimento está se tornando uma sensação no Brasil. Embora sua aplicação com essa finalidade não seja tão recente, a procaína benzóica estabilizada ganhou força na mídia, e hoje já é utilizada principalmente pelas classes sociais mais abastadas. Além de retardar o envelhecimento, o GH3, nome comercial da procaína, promete equilíbrio nos sistemas corporais, melhora na circulação sangüínea e combate à depressão. O geriatra e ortomolecular Eduardo Gomes e Azevedo trabalha com o GH3 há 27 anos, sendo inclusive usuário do medicamento. Ele alertou que o medicamento não faz milagres, apenas tem eficácia se utilizado num tratamento multidisciplinar. Azevedo contou que, no GH3, a procaína é somada ao metabissulfito de potássio, fosfato bissódico e ácido benzóico, diferente da procaína utilizada como anestésico. "Quando no organismo, a procaína benzóica se metaboliza, transformando-se no ácido para-amino-benzóico e no dietil-etanol-amino. Esses elementos são …